Esquema Geral de Informações Requeridas para o


Informações referentes a recursos físicos disponíveis



Yüklə 0,5 Mb.
səhifə4/4
tarix22.01.2018
ölçüsü0,5 Mb.
1   2   3   4

8. Informações referentes a recursos físicos disponíveis.

8.1 Salas de aula

Para o Curso de Engenharia Metalúrgica estão disponíveis no Campus do Vale quatro salas de aula com capacidade de 45 alunos e três salas com capacidade menor. Estas são compartilhadas com os cursos de Engenharia de Materiais e de Minas. Há ainda duas salas e um anfiteatro compartilhado com a pós-graduação. No Centro de Tecnologia existem duas salas de aula de 30 lugares e um anfiteatro. No Campus Centro há dois anfiteatros e algumas salas, também compartilhados com outros cursos de engenharia. Na maioria das salas há disponibilidade de retro-projetores. Projetores digitais há apenas em alguns dos anfiteatros. Para aulas em outras salas o docente tem a possibilidade de emprestar equipamentos na pós-graduação.

A distribuição das salas de aula para a graduação é centralizada para todos os cursos da Escola de Engenharia.

A Escola de Engenharia possui ainda duas salas de informática com um número total de 40 computadores: Uma sala localizada no Campus Centro (24PCs) e uma no Campus do Vale (16PCs). Estas salas servem para aulas que necessitam de recursos de informática individuais para cada aluno. As salas estão atualmente administradas pela Comgrad.


8.2 Bibliotecas

O Sistema de Bibliotecas da UFRGS é composto por uma Biblioteca Central e por 29 bibliotecas setoriais especializadas. A Biblioteca Central é um órgão suplementar vinculado diretamente à Reitoria e, por delegação de competência à Pró-Reitoria de Coordenação Acadêmica. O acervo bibliográfico da UFRGS contém material conforme Tabela 7. A Biblioteca Central e a Biblioteca de Engenharia são situadas no Campus Centro, a Biblioteca de Química, Física, Matemática e das Pesquisas Hidráulicas no Campus do Vale. A execução do projeto Reuni possibilitará a transferência da Biblioteca de Engenharia para o Compus do Vale.


Tabela 7: Acervo bibliográfico da UFRGS

ACERVO BIBLIOGRÁFICO


Tipo de Material

2007

Livros (volumes)

688.406

Periódicos (títulos)

14.763

Outros materiais

72.007

Além de livros e periódicos as bibliotecas coletam ainda toda a produção científica, técnica e artística dos docentes, funcionários e estudantes vinculados à UFRGS (dados ref. a 2007 na Tabela 8).



Tabela 8: Produção Técnica, Científica e Artística





Tipo de produção

2007

Acréscimo em 2007

Teses

3.124

515

Dissertações

9.102

967

Livros

2.181

205

Capítulos de livros

6.552

742

Artigos estrangeiros

6.646

795

Artigos nacionais

10.343

1.100

Trabalhos em eventos estrangeiros

5.408

740

Trabalhos em eventos nacionais

41.254

3.952

Relatórios técnicos e de pesquisa

566

24

Outros

16.770

3.229

Total

101.946

12.269

As bibliotecas oferecem os seguintes serviços:

- Sistema de pesquisa e encomenda de empréstimo on-line.

- Consulta livre ao acervo de obras gerais, de referência e às revistas e jornais da BC.

- Empréstimo domiciliar: Uma parte do acervo da BC está disponível para empréstimo para os usuários que possuem vínculo com a UFRGS, mediante apresentação da carteira de identificação da UFRGS.

- Através do COMUT é possível obter cópias de documentos não encontrados no Sistema de Bibliotecas da UFRGS e no Portal de Periódicos da CAPES.
8.3 Laboratórios

Os laboratórios agregados ao Departamento de Metalurgia contribuem de várias maneiras na formação dos alunos do curso de Engenharia Metalúrgica:

- Contribuição nas atividades complementares:

Os laboratórios oferecem amplas possibilidades para a participação de alunos em projetos de pesquisa, atuando como bolsista da iniciação científica dos programas internas da UFRGS, da Fapergs ou do CNPq ou como voluntário do programa de iniciação cientítfica.

Cursos de extensão, oferecidos pelos laboratórios, são geralmente também abertos para os alunos, pelo menos há um número definido de vagas reservadas para alunos do curso.

Os laboratórios se engajam também de forma direta na graduação, cedendo espaço e equipamentos para as partes experimentais de várias disciplinas. Para algumas disciplinas existem laboratórios de ensino próprios. Para a parte prática das disciplinas “Metalografia e Tratamentos Térmicos I, II e III” existem duas salas de ensino, sendo uma equipada com aparelhos para preparação de amostras e ataque metalográfico e outra contando com 6 microscópios ópticos para caracterização. Este laboratório de ensino tem capacidade para até doze alunos por turma.

Na maioria dos casos as atividades experimentais das disciplinas de graduação devem compartilhar espaço ou tempo nos laboratórios com as atividades de pesquisa nestas entidades.

A direção da Escola de engenharia dá apoio financeiro para as diversas atividades de ensino. Porém, o funcionamento das disciplinas depende da disponibilização de equipamentos e recursos regularmente destinados à pesquisa.

Os laboratórios do Departamento de Metalurgia possibilitam também a realização do trabalho de conclusão, inclusive para alunos de outros cursos.
Os principais laboratórios ligados ao Departamento de Metalurgia são:
LASID - Laboratório de Siderurgia

Áreas de pesquisa: pesquisas relacionadas às necessidades do setor siderúrgico brasileiro.

Tecnologia do Aço:



  • Estudos de escoamento e de tempos de mistura e residência em modelos físicos de panelas, distribuidores e moldes de lingotamento contínuo, monitoramento e controle de perdas térmicas em processos na aciaria equipamentos: modelos físicos e fonte de laser

  • Modelagem numérica de fenômenos de escoamento, transferência de calor e eletromagnetismo aplicados ao processo de fabricação de aços equipamentos: estações de trabalho para simulação numérica

- Modelamento termodinâmico de reações metal/escória

Tecnologia do Ferro e do Carvão :



- Avaliação de carvões para coqueificação e para injeção em altos-fornos (PCI)
- Estudo das propriedades e estruturas de coques para alto-forno

- Avaliação das propriedades de carvão para geração termelétrica



- Estudo das propriedades de calcários na combustão de carvão

- Caracterização do ferro-esponja (DRI) oriundo do processo de redução direta HyL

Equipamentos:

Fornos elétricos



Forno HT-2100-Vac-Graphit-Special

Microscópio Eletrônico de Varredura

Termobalança Netzsch

LEAMET - Laboratório de Estudos Ambientais para a Metalurgia

Áreas de pesquisa:

Controle da qualidade de materiais metálicos, carvões, resíduos sólidos e efluentes líquidos. Avaliação dos materiais para reciclagem dentro do próprio processo ou o re-uso em outras atividades



Equipamentos:

Espectrômetro de absorção atômica de chama

Espectrofotômetro na faixa do visível

Estufa, chapa de aquecimento, forno mufla, balança analítica




LAMET – Laboratório de Metalurgia Fìsica


Áreas de pesquisa:

Transformação de fases

Tratamentos térmicos e desenvolvimento de novos materiais metálicos.

Equipamentos:

Equipamentos para preparação metalográfica

6 microscópios ópticos. (2 com sistema de aquisição de imagens digitais)

Dois durômetros e um microdurômetro.

Máquina para ensaios mecânicos Instron

LAFUN - Laboratório de Fundição

Áreas de pesquisa:

Processos de fundição e fenômenos de solidificação



Equipamentos:

Equipamento para testes de areias de fundição

Espectrômetro de emissão ótica

Equipamento Bridgman p/a solidificação unidirecional

Sistema para purificação por fusão zonal

Equipamento para metalografia

Forno de indução

Cadinho


Forno resistivo

ELETROCORR – Laboratório de Processos Eletroquímicos e Corrosão

Áreas de pesquisa:

Anodização porosa e barreira

Corrosão e proteção de dutos de petróleo

Decapagem química e mecânica

Equipamentos:

Equipamento para metalografia

Equipamentos para testes eletroquímicos: potenciostatos, impedância eletroquímica, fontes para anodização

Nanobalânça eletroquímica

Mapeamento por eletrodo vibratório

Câmera climática

LAPEC – Laboratório de Pesquisa em Corrosão

Áreas de pesquisa:

Corrosão sob tensão

Corrosão em concreto

Corrosão localizada

Eletrodeposição

Equipamentos:

Potenciostatos, impedância eletroquímica

Máquinas para ensaios sob tensão / fadiga

Microscópio de força atómica

LAPROM – Laboratório de Processamento Mineral

Áreas de pesquisa:

Beneficiamento Gravimétrico

Tratamento de Minérios e Meio Ambiente

Avaliação Econômica de Projetos de Mineração

Equipamentos:

Moinhos


Estufas e fornos

Granulômetro à difração laser

Equipamentos de Processos em escala de planta-piloto: - Hidrociclone Reichert ;

- Concentrador Espiral Humphreys .



NTCm - Núcleo de Termodinâmica Computacional para Metalurgia

Áreas de pesquisa:

Processos da aciaria elétrica;

Tratamentos termoquímicos dos aços

Materiais metálicos - fases principais e intermetálicos

Equipamentos:

Softwares:

ChemSage

FactSage


9. Informações referentes aos recursos humanos disponíveis

9.1 Docentes

O curso de Engenharia Metalúrgica está ‘aninhado’ no Departamento de Metalurgia e, embora ele receba disciplinas de diferentes departamentos da Escola de Engenharia e de outros Institutos, por causa dessa ligação e por causa da organização interna dos cursos na Escola de Engenharia, uma necessária ênfase será dada a este departamento.

O Departamento de Metalurgia conta atualmente (2008/1) com 19 professores.

Todos os docentes lotados no departamento estão sob o regime de ‘dedicação exclusiva’, fato que caracteriza uma atividade com foco na vida acadêmica, na interação com alunos dos cursos de graduação e de pós-graduação. Esta dedicação permite, ao mesmo tempo, laços estreitos com colegas e pesquisadores desta e de outras instituições de ensino e de pesquisa, de vários níveis, nacionais e estrangeiras. Ela também dá o tempo e a cadência necessários para uma interação de alta qualidade com o setor produtivo.

A maior parte dos docentes possui formação em Engenharia, notadamente nos cursos de Metalurgia, Mecânica e Minas, mas há docentes com formação em Física e Eletrônica – entre outros cursos.

Dos 19 docentes, que atualmente compõem o Departamento de Metalurgia todos possuem o título de doutor, na maior parte com foco na engenharia, título obtido em instituições nacionais e estrangeiras – no último caso, na Argentina, Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra e França.



A maior parte dos professores leciona disciplinas nas quais são especialistas ou possuem uma grande afinidade. Grande parte disso é fruto de suas atuações nas áreas de pesquisa ou de interesse.

Tabela 9: Formação acadêmica dos docentes do Departamento de Metalurgia

Nome

Titulação

Instituição

Curso de graduação

Instituição

Afonso Reguly

Doutorado

UFRGS

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Antonio Cezar Faria Vilela

Doutorado

RWTH Aachen, Alemanha

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Alexandre da Silva Rocha

Doutorado

UFRGS

Eng. Mecânica

UFRGS

Carlos Eduardo Fortis Kwietniewski

Doutorado

UFRGS

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Carlos Hoffmann Sampaio

Doutorado

RWTH Aachen, Alemanha

Eng. Minas

UFRGS

Célia de Fraga Malfatti

Doutorado

UFRGS/ UPS,França

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Eduardo Osorio

Doutorado

UFRGS

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Gerhard Hans Knörnschild

Doutorado

Univ. Erlangen-Nürnberg, Alemanha

Ciência de Materias

Univ. Erlangen-Nürnberg, Alemanha

Irineu Antônio Schadach de Brum

Doutorado

UFRGS

Eng. Minas

UFRGS

Iduvirges Lourdes Müller

Doutorado

UNR, Argentina

Eng. Eletricista

UFRGS

Ivo André Homrich Schneider

Doutorado

UFRGS

Eng. Minas

UFRGS

Jaime Alvares Spim Junior

Doutorado

Unicamp

Eng. Materiais

UFSCar

Eng. Elétrica

USP

Lirio Schaeffer

Doutorado

RWTH Aachen, Alemanha

Eng. Mecânica

UFRGS

Luís Frederico Pinheiro Dick

Doutorado

Univ. Erlangen-Nürnberg, Alemanha

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Nestor Cezar Heck

Doutorado

RWTH Aachen, Alemanha

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Paulo Fernando Papaleo Fichtner

Doutorado

UFRGS

Física

UFRGS

Rejane Maria Candiota Tubino

Doutorado

UFRGS

Eng. Civil

PUC-RS

Telmo Roberto Strohaecker

Doutorado

UFRGS

Eng. Metalúrgica

UFRGS

Francisco José Kiss

Doutorado

Universidad Nacional de Cuyo / Argentina

Física

Universidad Nacional de Cuyo / Argentina

Tabela 10: Espectro da formação dos docentes do Departamento de Metalurgia

Engenharia metalúrgica

8

Engenharia de materiais

2

Engenharia de minas

3

Engenharia mecânica

2

Física

2

Engenharia elétrica

2

Engenharia civil

1

9.2 Pessoal Técnico

Há cinco funcionários técnicos lotados nos laboratórios do Departamento de Metalurgia.



9.3 Pessoal Administrativo

O DEMET conta, na parte administrativa, com a funcionária Sandra, que exerce a função de secretária do Departamento de Metalurgia.



10. Comissão de Graduação

10.1 Membros atuais da comissão

A atual Comissão de Graduação (2008/2009) está composta pelos seguintes membros do Departamento de Metalurgia:

Gerhard Knörnschild – Coordenador

Afonso Reguly – Vice-Coordenador

Ivo André Schneider

Nestor Heck

e os suplentes:

Célia Malfatti

Irineu Antônio Schadach de Brum

Alexandre da Silva Rocha

Há ainda representantes de departamentos que oferecem disciplinas para o curso de metalurgia:

Katia Gusmão: Departamento de Química Inorgânica

Marcelo Mabilde: Departamento de Engenharia dos Materiais

Débora Dick: Departamento de Físico-Química


O atual coordenador da Comgrad tem formação em Engenharia dos Materiais e doutorado na área de eletroquímica e corrosão. Ele é docente do Departamento de Metalurgia desde 1998. Ele ministrou até hoje as disciplinas da graduação:
Processos de Fabricação por Fundição

Tópicos Especiais em Metalurgia II

Fundamentos da Estrutura dos Materiais

Metalurgia Física I

Corrosão e Processos Eletroquímicos I

Práticas em Corrosão e Processos Eletroquímicos

Instrumentação
Além das disciplinas da Pós-Graduação:

Práticas em Eletroquímica

Filmes Protetores produzidos por Métodos Eletroquímicos

Em 2006/2007 ele foi membro da Comgrad Metalurgia.



10.2 Inserção da Comissão de Graduação na estrutura da UFRGS

O coordenador da Comissão de Graduação do Curso de Engenharia Metalúrgica é o representante do curso no Conselho de Graduação, formado pelos coordenadores dos seguintes cursos de engenharia:


Engenharia Metalúrgica (COMGRAD/MET)

Engenharia de Materiais (COMGRAD/EMT)

Engenharia de Minas (COMGRAD/MIN)

Engenharia Ambiental (COMGRAD/AMB)

Engenharia de Produção e Transporte (COMGRAD/PROT)

Engenharia Elétrica (COMGRAD/ELE)

Engenharia Civil (COMGRAD/CIV)

Engenharia Mecânica (COMGRAD/MEC)

Engenharia de Computação (COMGRAD/ECP)

Engenharia de Automação (em fase de implementação)



O Conselho de Graduação possui espaço físico, recursos de informática e conta com o apoio de um funcionário administrativo (secretário). Os coordenadores das Comissões de Graduação são membros do Conselho da Escola de Engenharia. O organograma abaixo (tabela 11) mostra a inserção do Conselho de Graduação na Estrutura da Escola de Engenharia.

Tabela 11: Organograma da Escola de Engenharia da UFRGS







Yüklə 0,5 Mb.

Dostları ilə paylaş:
1   2   3   4




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©muhaz.org 2020
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə