Tardio goiânia 2014



Yüklə 207,81 Kb.
tarix01.03.2018
ölçüsü207,81 Kb.

LUIZ FERNANDO PEREIRA DE OLIVEIRA

TARDIO

Goiânia

2014
CAPRICHO

Me fale dos mendigos jogados nas ruas
Jogados como dejetos, olhados com indiferença
Fale da copa da nossa casa, menos daquela Copa
Que custou o nosso suor e nossa alma

Me cansei de ouvir sobre o legado deixado
Quero revolução de baixo para cima 
E não de cima para baixo 
Sem mudança de governos ou partidos
Mas mudança na visão das pessoas

Não quero gritar por mais educação, saúde ou segurança
Quero me sentir educado quando houver gringo
Quero ter saúde dos países em que saí o gringo
E a segurança que fornecem e vendem ao gringo

Ás vezes queria ser como o gringo e beber caipirinha e dançar samba
Mas lembro de que estou a trabalho e não a passeio
Que pago impostos o ano inteiro para o estado me dar um trocado
E faça o seu favor, que já tenho pavor de ouvir falar em copa, seja de sala seja do mundo


PRAZERES

Que tal sentir meus lábios em você? 
Molhar seu corpo num prazer único 
Tirar lentamente cada uma das vestes 
E jogá-las rapidamente ao lado, no quarto
Deitar na cama e jogar seu carinho no meu corpo
Sentir o suor pingar dia nossos rostos 
Se consumir pelo calor corporal gostoso 
Com unhas nas costas, puxões no cabelo e chupões pelo pescoço
Que tal finalizar sugando seu gosto 
Por lábios macios e grossos 
E sentir a sua queda em meus braços, praticar o ócio
AMOR PERFEITO

Saiba que se for amigo 
Serei de todo íntegro 
Que se deseja paixão
Não serei fogo de palha

Para ser romance 
Não precisas de carruagem 
Sendo então um filme
Não locarei belas paisagens

Se for Vila Boa não farão fogaréu a nem tampouco 
Irei a Trindade visitar a divindade 
Nem desejaria subir as cachoeiras de Pirenópolis

Mas se for o amor que sinto por você 
Faria com prazer todo destino a pé para Trindade 
Andar de carruagem para Goiás e me purificar nas cachoeiras de Pirenópolis

PAISAGEM

Andou e avistou o Coreto
Sonhou as festas e as danças que ali tivera 
Desceu a Goiás e viu o Grande Hotel
A sua imponência o calou e viu sua beleza restaurada 

Mais um pouco e viu Anhanguera, baixou o tom e sentiu-se oprimido
Viu a Paranaíba e avistaram as meninas diferentes vendendo seu labor corporal e sua doença social 

Olhos marejados desejou poder mudar 
Mas lembrou de que o tinha usado para perpetuar 
E assim seguiu por calçadas e asfaltos a ignorar os fatos

TOCAS

Fui princesa em meu país 
E depois fui levada como meretriz
Para ser escrava nessa roça

Me romperam o lacre
Tiraram o doce gosto
E me colocaram na boca o acre

Virei ama d' leite de quem me doutrinava
Percebi que o sangue descia 
A cada negação sexual como doía à chibatada

Hoje vê que me negaram lar
E também um pouco de amor
Minha religião e liberdade pelo infinito labor


Mucama

Amado negro do navio negreiro 
Que veio sem sorte ao estrangeiro
E como troca levou tronco e açoite

Amada negra que veio mucama
Que viu a sinhá insana 
E foi despida pelo barão na cama

Amados que foram feitos de escrevo 
Que corriam dos capitães de mato 
E criaram seus quilombolas 

Amado negro a escravidão acabou 
Mucama não deita com barão 
Não serve de leite para os meninos 

Mas porque continuou? 
Passou-se tanto tempo e nem reparou
Os quilombos viraram favelas 
O açoite virou cassetete As mucamas viraram empregadas 
As sinhás viraram damas 

Agora se tem liberdade
Mas sem igualdade 
Deveres com poucos direitos 
Escravidão sem alforria para trabalhar por mais tempo em uma fantasia

INSANIDADE 

Me faça perder a cabeça
Preciso de um motivo 
Quero tirar o amargo 
Que aqui trago em meu seio

Me tire do labor cotidiano 
Do robótico e leve-me ao mundano 
Me faça emergir das profundezas do mesmo, não quero ser um insano senil
Quero ser amante, sem a fidelidade, castidade, moldado a sacanagem

Sem o veneno a abrir meus poros
Vou esgotar sua pureza 
Me entregar até que alguém me esqueça
Até que não haja nenhuma beleza

GUAPO

Para amar não precisa de pecado
Sentir que o proibido e mais gostoso 
A libido mais sacana que desperta a chama 
Pode ter prazer, mas com predicado 
Ao amor que seja delicado nos beijos e abraços com os toques sem tenacidade, apenas vontade 
A frenesi se perde para o detalhe que vai do corpo ao rosto envolta em minhas mãos
Não vai esquecer, nem perder na esquina o meu olhar a te querer a te dominar

AUSÊNCIA

Sinto o frio invadir
Já sei que não está aqui
Distante estava, bem longe

Não havia bilhete de adeus, só seu perfume
Aquele mais apaixonante, que lhe dei

Senti assim o golpe
Ferido e sem reação
Deixou-me em farrapos
Nu, perdido neste mundo

Olhei a porta para ver se entrava
Não entrou e então deitei
E esperei o seu calor
DABU

Tome notas, algumas coisas aqui mudaram
Meu corpo, seu templo de sacrifícios 
Deixou de causar dor e sofrimento
Parei de me machucar, das ferroadas e dos chicotes

Guio-me pela paz que encontrei
Não a achei, assim perdida em algum canto
Andei e batalhei ate me fortalecer 

Incensos, Sutras, orações, imersões
Sem penitências, jejuns, sacrilégios

Somente paz e sorrisos no meu bom ser

NOZAS

Esgota-me com sua saliva saborosa
Com suas mãos quentes e envolventes
Seus cabelos vão puxar-me até você

Sem esforço, com carinho, sem jeito
Mas jeitoso, irei e não largarei

Depois que usar-me, não descarte
Ando sendo lixo descartado a tempos

Mas você não me trata assim
Sabe de meu precioso sabor sem eu perceber
E prova-me sem eu menos reclamar
Sem ao menos eu esquecer, você

RALA LIBERDADE 

Como é sentir a cada manhã
o voo dos pássaros livres a gorjear
ao abrir a janela e escutar 
o cantarolar de sua alegria pelo ar

Vejo neles a capacidade de mudança
sem pestanejar partem livres e soltos
A asas que os guiam me invejam a cada dia

Me fazem questionar a minha sensação de tato
de andar com os pés descalços ao sentir a grama
sair pela rua e sentir o pingar da chuva
coisas sem alguma prisão, sem a menor intenção

Liberdade essa que luto em conseguir
que me aflige ao refletir em prisão
palavra tão distante da realidade e tão perto dos sonhos


INFIMIDADES 

Ei, você aí mesmo que se encontra parado
Pensa que manda quem pode, obedece quem tem juízo
Até quando vai insistir em viver nesse prejuízo?
Pelo início da sua vida até o dia que tiver partido?

Irás navegar pela sua existência buscando glórias?
Gabar-se-á de ser um náufrago perdido em uma ilha?
Sorria, pois muito tijolo ainda será sua partilha
E deixará sua história ainda com mais vitórias

Não se precisar calejar para o sucesso eminente
Nem se esquentar com o pedido que se faz presente
Perca tempo, mas não perca saúde com infimidades
Pois então ficarás velho e lembraras com saudades

Dos tempos que não vão voltar jamais 
das músicas que não terão mais
dos beijos com amores que foram fatais
dos abraços apertados com alegrias demais

MÍMICAS

Quero saber lhe dar respostas
Mas o silêncio e a única que sei dizer
Perguntar como foi seu dia e como vai?
Sem ao menos um agradecimento a ti fazer

Gesticular com as mãos que seria um prazer
e entrar pela porta sem ao menos bater
Sem meras formalidades ou amizades
apenas encontro de amigos e casualidades

Mas então sei que nada poderás entender
ficarei aqui mudo fazendo mimicas a perder
Quem sabe assim você se encanta com meu ser?

Não será assim que vai acontecer
ao final bastará o virar de costas
e todo meu esforço você irá esquecer


DILIGÊNCIA

Foram por esses olhos negros 
cabelos negros e sorriso branco
que me perdi aquela noite

Foi por uma morena de beleza
sem igual que chega a ser banal
qualquer elogio em vão para ti

Não me esqueço das suas danças
do teu olhar que é sedutor
e relembro cada passo do seu gingado

Queria ter feito o beijo roubado
para então deixar encantando 
aqueles lábios vermelhos 

Espero-lhe ainda lhe encontrar
para dar toda a paixão
que a ti colocou em mim aquela noite

PROVOCA - ME

Oh bela moça que me emudece
saiba que quando eu falar
deixarei palavras tocantes

Meus beijos, dilacerantes
provocarão calor em teu corpo
não terás outro para conquistá-la

Saberás então que se tornou mulher
somente minha para toda a vida
e que não fará sentido algum escapar

Se estas palavras pudessem a ti escutar
diria então e nem precisaria aqui pensar
mas me deixas envergonhado em falar

Vou me guardando aqui a ideia enganar
o coração vazio que suporta calado
a cada partida que se vai para longe

Tão longe que me faz não imaginar
que um dia, antes que se vá por inteira
segurarei teus braços e os beijos roubar
SEM SURPRESAS

Haverá amores imperfeitos na vida
o caminho ficará vago e bons momentos
em muitas vezes, abortado por ambos
por algum, alguém ou algo necessário

Beijos e abraços serão lembrados 
nesse tempo o calor não existirá
e o frio brindará os dias de solidão

Verás que amor não será só desejar
amor é o complemento de um acompanhar
intenso e dedicado, feliz e complicado
papel que muitas vezes é louvável 

Carinhos intensos voltarão a mente
lembrarão como era bom se sentir
em perfeito estado de paixão 

Os braços farão gestos para agarrar
e os lábios esperarão a boca tocar
mas o coração pede para não lembrar

Momentos, estes inesquecíveis 
que hoje são página virada
neste estranho mundo que é amar

PALAVRAS & MOMENTOS

Doce promessa sonho marcado
olhos vendados, sabor e pecado
quando toco sua boca e beijo
sinto me inundar de desejo

E os beijos roubados 
nos rostos de ambos os lados
um abraço muito apertado
para fazer-me lembrado

Fazer um cafuné gostoso
De um jeito carinhoso
para não faltar a paixão
que pulsa em seu coração

Não preciso de estrelas
já a tenho aqui comigo
o brilho de nenhuma delas
se compara ao seu sorriso

Vamos fazer então nosso céu
na cor que desejar, será
terá Sol e Lua pra iluminar

Teremos canções por anos
seres admirados por todos
seja você a amante da noite
e eu o amante da minha Lua
HAVERÁ

Recordo em que já se foi, mas que ainda fazem presentes
tento fechar os olhos e não consigo, são forte demais
não me esqueço da pobreza e da miséria que nos assola
dos semáforos com crianças pedindo a santa esmola
do desperdício a ganância que levarão a fossa

Lembro-me das manhãs, tardes e noites perdidas pelo capital
da corrupção que afeta, da saúde que se agrava cada vez
da educação que se foi esquecida, da morte que se acelera
dos corpos pequenos e esquálidos daquelas crianças

Não havia infância em seus olhos, não havia sorriso em seus lábios
não havia esperança em seus dias demorados e cansativos
não havia palavras animadoras que ecoassem em seus ouvidos
não havia pessoas, só havia uma cegueira de achar tudo normal


NÃO CONTO 

A bela se ilude das palavras
que a fera vocifera a falar
tão doces, tão límpidas 
que faz seu coração disparar

Se a faz princesa encantada
lhe oferecendo castelos e rosas
tome cuidado com a patada
que será dada em suas costas

A vida não é um conto de fadas
uma narrativa de novela
nem um castelo de cartas marcadas

Por ela 
Pagamos preços altos demais
por confiar em quem não devia


DECLARO A TI

Oi, como você está?
Acordou hoje bem ou má?
Pronta pra se amar?
Em queda para se esborrachar?

Já lhe falei que está linda?
Mesmo se contorcendo de dor?
Que seus olhos mantém o brilho
Com esse momento de rancor

Se quiser faço carinho 
Até amor para ver sorrisos
Quem sabe assim você acalma?
E pare com essa cobrança?

Por fim digo que lhe adoro
E fico ruim quando a vejo assim
Mais amor e menos dor
Meu grande amor
VALOR

Se for para ser valioso 
que seja ouro, mas não de tolo
dourado se for, que seja Sol
mas não aquele de queimar a todos

E planta que seja, seja um girassol
porém que não fique ao longe dos montes
se for escura que seja mel cristalizado
do mais doce pecado que se possa provar

Se for, não vai ser, seja agora
o será e futuro demais
o se e dúvida qualquer 

Para você basta o presente
e a certeza de basta querer


ALEGORIA

Entrou em meus sonhos e não saiu
com seu véu de noiva na igreja
sua roupa branca enchia de paz
o lugar, as pessoas, os espaços

Sua pele, alva, eram como a nuvem
doce, singela, pura e clássica
sua sorriso despia a pior intenção
do maior pecado até a escuridão

Tocar-te como eu queria fazer
mas em anjos como aquele 
não se deve tocar, se deve olhar

Meus pensamentos fogem ao ver
mas antes de desparecer, peço
me faça não lhe esquecer

SERENATA

Ao ver você, milhares de pensamentos vieram 
Quando fixei em teus belos olhos verdes
Pensei na preciosidade que você é
Como a rara joia, como esmeralda

O balbuciar das palavras, sabia
Estava de fato em minha frente 
algo raro, não só uma pessoa
mas a mulher que me doma com seu jeito

Então nesse jogo de conquistas
nem pensei, apenas apreciei estar contigo
os minutos viraram horas e passaram rápido
tanto que cada momento de despedida é ruim

Mas me deixa feliz em saber que terei você
Mais e mais vezes, com seu belo sorriso
seu jeito manhoso e carinhoso, seu cabelo loiro
E seu rosto alegre e gostoso que me faz querer 
A cada dia mais, ter você em meus braços


NASCIMENTO

Ao abrir a luz entrou
onde havia escuro, nada ficou
Posso abrir meus olhos?
Quero saber onde estou?

Quem são esses maiores que a mim?
Parecem comigo e sorriem alegres
Qual o motivo de tanta felicidade?

Alguém me abraça, qual o seu querer?
Deseja me dar carinho, me olha tanto
Porque me olhas assim, com tanta ternura?

Mãe? Ouvi isso? Então sou fruto teu?
Então seria isso, sou a alegria destas pessoas
o motivo de tantos sorrisos
INFÂNCIA

Os sorrisos se tornaram constante
assim como os choros por fome
me sinto um sortudo ao que ocorre

Novas pessoas apareceram 
e elas se divertem comigo
chamam de amigos, elas brincam

Sem preconceito ou distinção
batemos tazo e jogamos futebol
ouvimos as mesmas músicas
temos os mesmos heróis



Aliás, queremos ser como eles
mas então nos lembramos de outros
nossos pais, nossos heróis
que só querem o bem a nós


ADOLESCÊNCIA

Não existe mais nós para eles?
Heróis? São humanos tão falhos...
Tudo que faço e preciso de ordem
Ordem? Não necessito disso

Preciso sentir e a liberdade
Para pensar e agir, mudar o mundo
Não quero ser nostálgico
Quero reação, mudanças, questionar!

Apagar o passado pueril que tive
Ouvir aquilo? Gostar daquilo?
Agora sou diferente, quero rock

Quero sair e curtir sem se preocupar
Viver até o último segundo 
Sem arrependimentos, viver os amores
Ah, aquela menina da sala...

ADULTO

Aquela menina da sala, grande paixão
como várias que se passaram...
Hoje estou com uma só, época da faculdade
não achei que iria durar, são passados os anos

O sentimento falou mais alto que tudo
tenho um emprego, que alimenta 
são meus sonhos que coloco no papel
porém ele me consome, pouco tempo
tempo, aliás, e o que me falta

São tantas opções que fico perdido
Perda? Já lidei com muitas nessa vida
meus amigos não são os mesmo da infância
o futebol continua, mas sem aquela graça

Anda tudo tão politicamente correto
hoje aprendemos que tem buylling
preconceito, sofrimento, crises sociais
acredito que eu esteja nostálgico


VELHICE

Qual o motivo de tantos sorrisos?
Os sorrisos se foram a anos
sou a personificação da dor
anos e anos cansado pelo trabalho

Existir, devo fazer número, apenas
enfim sou o motivo da alegria de muitos
netas, filhas, bisnetas e minha esposa
Pais? Não há tenho mais, partiram

Motivo de felicidades?
Mas um aniversário que faço
Estou ficando mais velho e sem forças
não sinto, mas a energia me sobrava jovem

Será o meu fim nessa terra?
Onde havia a luz, seria escuro
posso fechar meus olhos?
Ao fechar a escuridão entrou
Eu que fiz

ATILACEI

Fui olhar em minha volta
e você não estava aqui
Então, pensei em abrir a porta
Quem sabe você pudesse aparecer?

Tudo em vão para lhe ter
Deitei-me e seu calor não tive
Adormeci, e em meus sonhos 
Estava lá você em meus desejos

Atendido estava em ter você
mesmo que em meu pensamento 
mas no meu sonho mais intenso
tive o prazer de ter você


MONTANTE

Diga que não me vê estou parado
aqui muito perto de você
sou a fome e lhe dou toda minha graça

É do menino que lhe pede esmola
Seja, na rua, na praça ou calçada
O analfabeto que o estado renegou
com muito orgulho vida da bolsa
que o senhor ajuda a pagar

Então eu ganho duas vezes de você
e nem reclamar, para que? Todos ganham
Porque não posso ganhar o meu tostão?
Sua roupa, seu dinheiro, seu cargo
todos eles valem mais que minha vida?

Ora, pois, sente aí não tem problema
ajude a mudar e busque reclamar
não só de quatro em quatro anos, mas todos os dias
Pois então aí quem pagará são os barões

SUBSTANCIAL

Oi, prazer eu sou o capital
aquele que lhe trará ao sinal 
as tuas compras e lhe fará mal
com as taxas de créditos ao final

Obrigado por alimentar o sistema
adoro receber ser seu salário
em troca de um prazer ordinário

E estes preços salgados, que tal?
Não tem problema são impostos e juros
tudo embutido, pronto para lhe sugar
e você nem se importando, por mim
tudo bem, não ligo mesmo

Em troca das suas ilusões
lhe dou o que deseja
ao final, sei que me dará mais
pois sou assim, ilimitado
como a sua sede de poder ter

ESTAÇÕES

Eu sou a espécie em extinção 
que hoje em dia não se encontra
um dia, já foi importante
era cavalheiro e fiel

Hoje, como tudo nessa vida
tenho uma evolução
que é safado e feroz
ávido e uma emoção

Não muito esperto, só medroso
Mal age com o coração 
só gasta, pensa que é expansão
e hoje está em decadência

As outras mudaram, ganharam liberdade
como não a usam, viram libertinagem
ou propaganda para vender 
pois ideologia passou longe

Há se soubessem como é bom evoluir
e não precisar mentir, seria melhor
as outras não seriam mais amélias
nem os outros seriam "joãos"
BURLA

Predicados e sujeitos o que ter?
Precisa-se ser lindo e inteligente?
Como gostaria que fosse para você?

Calmo e intrigante para compreender?
Surpreso e cantante para serenata fazer?
Uma pitada de amor envolvente 
que não vai lhe deixar carente

Isso irá aguçar o teu querer?
Não desafie seu destino flor
por mais desejo que tenhas
não será este seu amor

Será um amor ás avessas
aquele que causa dor


SACIEDADE

Havia em alto de árvore uma preguiça, ser dócil aquele, 
Que mal pode fazer e não ser trepar em árvores?
Em seu habitat não farias mal a alguém e viveria calmo
Porque nós temos que invadir o ócio alheio

Determinar a dignificação ao trabalho e o esforço
A preguiça com seu lazer, descanso, curta e não gasta
Desde energia a dinheiro só retira o que lhe sustenta

Porque não aprendemos com a preguiça e vivemos de ócio?
Quem sairia perdendo com isto, seriam os donos de empresas?
E qual problema tem em ser preguiçoso, mas ser feliz?

Não há o problema, afinal quem coloca problemas
E porque sempre enxerga a solução dos teus nos outros
E acha que os outros têm que trabalhar pelos teus

COMO DEVIA ESTAR

Estavas tão linda no teu vestido branco
desceu a escada e puder ver a luz
era um anjo e forma humana, deslumbrante
nem um toque seria permitido, afinal
iria lhe tirar a pureza que tens

Nem mulher poderia ser, só deusa
merecia eu o acaso do destino
a sorte de um maltrapido ao achar um terno?

Não sou o melhor, nem de longe serei perfeito
mas tudo parece tão perfeito que irei estragar
não o faço por mal mesmo, nem por negativismo

São sensações, de que você não devia estar aqui
e que a vida dará um jeito de fazer o certo
e torna-me um ser mundano, como sou
longe da pureza que você é, meu amor
FLAGRANTE

Dois momentos
Dois ideais
Duas pessoas
Dualidade
Instante
Pensamentos iguais
Duas vidas
Se interligando
Para ser somente uma
E para toda a vida

HAURIR

Vamos brindar o festival
o sangue que enche as taças
o corpos dilacerados no chão
a multidão correndo de medo

Celebrar o caos do que suga
e se alimenta da dor alheia
abraçar a inveja deles
receber o grito de morte daqueles

Gritos em homenagem a todos
aqueles que só sabem usar
de meios tolos para conquistar
aquelas mulheres que não soube amar

CANDURA

Queria lembrar o ultimo beijo
Aquele que dei com todo prazer 
E não o transformei em produto
Me dá saudades de pensar na pureza
dos meus lábios ao tocar os teus

Na inocência sem pecado 
e sem malícia vasculhando 
o corpo teu que era meu

E pensar que hoje sou mentira
e você histórias a contar
ficamos sem explicação
e chegamos a pensar 
que não seria ilusão

Me diga aonde perdi você?
Sem perceber eu já não era teu
motivo, teu sorriso, teu amor
volte a pensar que seu amor
foi eu, volte pra mim e diga

Sou eu, vim pra ficar, vim aqui
dizer sim e sem alguma explicação
não digas nada e volte pra mim
Frenesi

Diga para mim o que quer esconder?
Coloque para fora a dor de viver
As feridas abertas que você deixou
Serão futuras marcas as quais tatuou

Quando olhar no espelho verá
Aquilo que tanto lhe assombra
A verdade escondida em teus olhos
A necessidade de mim saindo pelos poros

Saberás que meu corpo clama
Pelo desejo de acalmar a alma
Com o sabor que me acalma
Estou aqui em sua palma

Deixe-me te conduzir
Te levar até onde não pode ir
Te fazer enxergar ao meu lado
Que não há lugar melhor que aqui

Aqui você pode pisar sem medo
Descansar e relaxar, sem segredo
Aproveite e venha ficar
Só ao meu lado estarei a esperar

Yüklə 207,81 Kb.

Dostları ilə paylaş:




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©muhaz.org 2020
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə