Silvia Maria de Araújo · Maria Aparecida Bridi · Benilde Lenzi Motim



Yüklə 2,99 Mb.
səhifə1/56
tarix02.08.2018
ölçüsü2,99 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   56

1

Sociologia

Silvia Maria de Araújo · Maria Aparecida Bridi · Benilde Lenzi Motim

Manual do Professor

Silvia Maria de Araújo

Socióloga, doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), pós-doutora em Sociologia do Trabalho pela Universidade de Milão. Professora aposentada da Universidade Federal do Paraná (UFPR/Programa de Pós-Graduação em Sociologia). Atua como consultora nas áreas de Sociologia e Educação e é autora de livros e artigos científicos.

Maria Aparecida Bridi

Socióloga, doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora do Departamento de Sociologia e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPR (Mestrado e Doutorado). Coordenadora do Grupo de Estudos, Trabalho e Sociedade (GETS/UFPR). Autora de livros e artigos em revistas especializadas.

Benilde Lenzi Motim

Socióloga, doutora em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora aposentada do Departamento de Sociologia e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPR. Membro do Grupo de Estudos, Trabalho e Sociedade (GETS/UFPR). Autora de livros e artigos em revistas especializadas.

Volume Único

Sociologia - Ensino Médio

2ª EDIÇÃO

SÃO PAULO · 2016



2

Diretoria editorial

Lidiane Vivaldini Olo

Gerência editorial

Luiz Tonolli

Editoria de Ciências Humanas

Heloisa Pimentel

Edição


André Albert e Marina de Sena Nobre

Gerência de produção editorial

Ricardo de Gan Braga

Arte


Andréa Dellamagna (coord. de criação), Erik TS (progr. visual de capa e miolo), Claudio Faustino (coord.), Thatiana Kalaes (assist.), Luiza Oliveira Massucato e Livia Vitta Ribeiro (diagram.)

Revisão


Hélia de Jesus Gonsaga (ger.), Rosângela Muricy (coord.), Ana Curci, Heloísa Schiavo, Paula Teixeira de Jesus e Vanessa de Paula Santos; Brenda Morais e Gabriela Miragaia (estagiárias)

Iconografia

Sílvio Kligin (superv.), Denise Durand Kremer (coord.), Ellen Finta, Iron Mantovanello e Sara Plaça (pesquisa), Cesar Wolf e Fernanda Crevin (tratamento de imagem)

Ilustrações

Filipe Rocha e Orlando Pedroso

Cartografia

Eric Fuzii, Julio Dian e Portal de Mapas

Foto da capa: Las Palmitas, Pachuca, México, 2015. Omar Torres/Agência France-Presse

Protótipos

Magali Prado

Direitos desta edição cedidos à Editora Scipione S.A.

Avenida das Nações Unidas, 7221, 1º andar, Setor D

Pinheiros - São Paulo - SP - CEP 05425-902

Tel.: 4003-3061

www.scipione.com.br / atendimento@scipione.com.br

2016

ISBN 978 85 262 9939 9 (AL)

ISBN 978 85 262 9940 5 (PR)

Cód. da obra CL 713408

CAE 566 801 (AL) / 566 802 (PR)

2ª edição

1ª impressão

Impressão e acabamento



Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Araújo, Silvia Maria de

Sociologia: volume único: ensino médio / Silvia Maria de Araújo, Maria Aparecida Bridi, Benilde Lenzi Motim. - 2ª ed. - São Paulo: Scipione, 2016.

Bibliografia.

1. Sociologia (Ensino médio) I. Bridi, Maria Aparecida. II. Motim, Benilde Lenzi. III. Título.

16-02726


CDD-301

Índices para catálogo sistemático:

1. Sociologia: Ensino médio 301



3

APRESENTAÇÃO



Caro estudante,
todos os dias, certamente, você ouve frases como estas: "antigamente era diferente", "naquele tempo era melhor", "a gente construía os próprios brinquedos", "os vizinhos conversavam mais", e tantos outros ditos, impossíveis de elencar nesta breve apresentação. De fato, vivemos em um mundo diferente, que se modifica em uma velocidade antes inimaginável. Além das mudanças aceleradas nas últimas décadas, as sociedades deparam com desafios e problemas de grandes dimensões, muitos dos quais criados pelos seres humanos em convivência, como veremos ao longo deste livro.

Apesar das mudanças, há coisas que permanecem, e uma delas é o próprio fato de as sociedades continuarem existindo, de as pessoas criarem laços entre si, tecerem planos e os executarem. Por exemplo, é cada vez mais comum as pessoas utilizarem sites de relacionamentos na internet para manter contato com os amigos e a família, ou para conhecer outras pessoas. O que faço e como vivo, meu comportamento e estilo de vida fazem parte da minha individualidade, que foi construída nos processos de interação e socialização pelos quais passei. Essa convivência na família, na escola, no grupo de amigos também tem relação com os processos históricos, econômicos, políticos, sociais e culturais mais amplos. Assim, somos produtores da sociedade e também somos produzidos por ela; nossas atitudes modelam o mundo social e são por ele modeladas. Investigar essas conexões entre o que a sociedade faz de nós e o que fazemos de nós mesmos é justamente um dos trabalhos da Sociologia, segundo o sociólogo contemporâneo Anthony Giddens.

Estudar a vida social humana é o objeto das Ciências Sociais. Entrar em contato com elas, no entanto, pode nos tirar do nosso ponto de vista habitual, desacomodando nossas ideias e provocando nossa ação. O pensar das Ciências Sociais nos convida a ir além das aparências e daquilo que nos é familiar; questiona-nos quanto ao que tomamos como natural e inevitável na vida em sociedade. Diferentemente do senso comum (um conhecimento prático, do cotidiano), a Antropologia, a Ciência Política e a Sociologia nos possibilitam sair do nosso mundo particular e apreender as múltiplas dimensões da política, da economia, da cultura, da sociedade propriamente dita.

Nas páginas deste livro você mergulhará na sociedade contemporânea, buscando pensar e cultivar a "imaginação sociológica", como diz Wright Mills. Será que compreendendo nós mesmos teremos condições de compreender os outros? Entre os temas deste livro, você verá a ciência, o trabalho, a cultura, a política, os movimentos sociais e as instituições, como a família, a escola, o Estado, a religião. É claro que você e sua juventude também estão contemplados nessa análise, bem como a preocupação premente e atual com as condições do meio ambiente. Todas as questões que esses temas propõem às Ciências Sociais, sobretudo ao entreverem situações de desigualdades, conduzem a processos de construção da cidadania, vislumbrando nossos direitos e deveres.

Para que você percorra essa trilha com ânimo para explorá-la, cada capítulo está entremeado com atividades que levam à reflexão e apresenta sugestões de leituras, filmes e sites para suas aventuras investigativas. Nesse sentido, algumas pistas vêm na forma de proposições teóricas e de conceitos inter -relacionados destacados em negrito no texto. De posse desse material, o seu trabalho de construção do conhecimento ficará a cargo da sua leitura atenta e das discussões e debates com os colegas e o professor. Portanto, prepare-se para uma leitura ativa em que você é o protagonista. Suas investidas serão de aproximação dos textos, análise das questões levantadas, estímulo ao desenvolvimento da crítica social, cruzamento de informações, indagações pertinentes e espaço para as suas dúvidas. Você está em processo de descoberta de sua identidade, e acreditamos que este livro trará contribuição nesse sentido.

Apaixone-se pelas Ciências Sociais, pois ciência é também paixão na persistência dos métodos, perseguição de objetivos e curiosidade sempre alerta. Bom estudo!



4

Estrutura da obra

O livro está organizado em 12 capítulos que procuram analisar os temas no contexto das diferentes realidades brasileiras.

Capítulos

Cada capítulo apresenta a perspectiva das Ciências Sociais a respeito de um grande tema.

Pesquisa


Atividade de pesquisa sobre o tema trabalhado.

Pausa para refletir

Textos, imagens e charges complementares aos conteúdos trabalhados, acompanhados de atividades variadas.

Debate


Proposta para você tomar contato com diferentes posições sobre o tema.

Encontro com cientistas sociais

Trechos de textos de autores clássicos e contemporâneos das Ciências Sociais ligados ao tema do capítulo.

Intelectuais leem o mundo social

Textos breves com posições e opiniões de intelectuais sobre temas relacionados às Ciências Sociais.

5

Boxes


Textos que aprofundam questões específicas.

Glossário

Definições de palavras e informações adicionais sobre o contexto.

Diálogos interdisciplinares

Propostas de atividade que envolvem conceitos de outras disciplinas.

Revisar e sistematizar

Questões que trabalham com temas-chave do capítulo.

Conceitos-chave

Relação dos principais conceitos tratados no capítulo. Ao longo do texto, esses conceitos estão destacados em negrito.

Descubra mais

Sugestões de livros, filmes e sites que permitem aprofundar temas e conteúdos tratados no capítulo.

Teste seus conhecimentos e habilidades

Propostas de questões objetivas semelhantes às adotadas nos exames do Enem.

Questões do Enem e de vestibulares

Uma seleção de questões relacionadas ao conteúdo do livro.

Índice remissivo

Indicação das páginas que remetem aos principais conceitos e autores citados.

6

Sumário

CAPÍTULO 1 - As Ciências Sociais nasceram com a modernidade, p. 11

As Ciências Sociais são fruto da transformação social, p. 12

A divisão entre as Ciências Sociais, p. 16

Nasce a Sociologia, p. 17

As origens da Antropologia, p. 20

A trajetória da Ciência Política, p. 22

Senso comum e ciência, p. 24

Métodos para pensar a realidade social, p. 25

O positivismo na proposta de Comte, p. 25

Durkheim concebe um método para a Sociologia, p. 26

A dialética como método de análise, p. 26

O objeto de estudo da Sociologia, p. 27

Durkheim e a análise dos fatos sociais, p. 28

Weber e a compreensão da ação social, p. 29

Marx analisa a realidade histórica, p. 31

A produção teórica dos autores clássicos, p. 32

A integração social sob o olhar de Durkheim, p. 33

Teoria da ação social em Weber, p. 33

Marx e a teoria da acumulação, p. 34

Teorias e métodos das Ciências Sociais no século XX, p. 35

Diálogos interdisciplinares, p. 39

Revisar e sistematizar, p. 39

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 40

Descubra mais, p. 41

Bibliografia, p. 41

CAPÍTULO 2 - Viver em sociedade: desafios e perspectivas das Ciências Sociais, p. 43

As transformações da sociedade, p. 44

Vida em sociedade, p. 46

As primeiras inquietações dos cientistas sociais, p. 49

O tema das desigualdades na sociedade contemporânea, p. 51

As teorias de classe e a estratificação social, p. 54

Desigualdade social e dominação, p. 58

Dominação e a realidade social brasileira, p. 61

Globalização e novas questões sociais, p. 65

Matizes da globalização, p. 66

As contribuições das Ciências Sociais, p. 69

Diálogos interdisciplinares, p. 71

Revisar e sistematizar, p. 71

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 72

Descubra mais, p. 74

Bibliografia, p. 75



CAPÍTULO 3 - A família no mundo de hoje, p. 77

As muitas configurações da família, p. 78

A família como instituição social, p. 81

A família patriarcal no Brasil e seus desdobramentos, p. 84

A família como espaço de reprodução social, p. 86

As Ciências Sociais observam a família, p. 88

Famílias em transição, p. 92

Movimentos de mulheres e relações familiares, p. 94

O que há de novo nas famílias?, p. 97

As relações familiares transformadas, p. 100

Diálogos interdisciplinares, p. 102

Revisar e sistematizar, p. 103

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 104

Descubra mais, p. 105

Bibliografia, p. 106

CAPÍTULO 4 - O sentido do trabalho, p. 107

O trabalhador e o trabalho no mundo atual, p. 108

O sentido do trabalho, p. 110

O lugar do trabalho na vida em sociedade, p. 114

O trabalho em crise, p. 115

O trabalho na era da globalização, p. 119

O labirinto do mercado de trabalho, p. 121

Diferenciações no trabalho, p. 124

As mulheres e o trabalho, p. 124

Desigualdades étnico-raciais no mercado de trabalho, p. 127

Diálogos interdisciplinares, p. 130

Revisar e sistematizar, p. 130

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 131

Descubra mais, p. 133

Bibliografia, p. 133

FONTE: Trina Dalziel/Ilustration Works/Getty Images



7

CAPÍTULO 5 - Tecnologia, trabalho e mudanças sociais, p. 135

As tecnologias transformam as sociedades, p. 136

Organização do trabalho no século XX, p. 138

A flexibilização e a sociedade, p. 143

O trabalho no Brasil, p. 146

A terceirização do trabalho, p. 148

Novo perfil do trabalhador, p. 150

Precarização do trabalho, p. 152

Os sindicatos e seus desafios atuais, p. 154

Tecnologias da informação e comunicação, p. 156

Mudanças e novas configurações do trabalho, p. 158

O trabalho no meio rural, p. 160

Diálogos interdisciplinares, p. 162

Revisar e sistematizar, p. 162

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 163

Descubra mais, p. 164

Bibliografia, p. 165

FONTE: Filipe Rocha/Arquivo da editora



CAPÍTULO 6 - A cultura e as suas raízes, p. 167

Comunicação e cultura, p. 168

O que é cultura?, p. 170

Cultura e civilização, p. 172

O relativismo cultural, p. 174

Nós e os outros, p. 176

Diversidade cultural na sociedade brasileira, p. 182

As dinâmicas culturais, p. 185

Mudanças culturais na sociedade global, p. 188

Indústria cultural e práticas sociais, p. 190

A cultura que se mundializa, p. 193

Individualização e cultura, p. 195

Diálogos interdisciplinares, p. 197

Revisar e sistematizar, p. 197

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 198

Descubra mais, p. 199

Bibliografia, p. 199

CAPÍTULO 7 - Sociedade e religião, p. 201

A religião como instituição social, p. 202

O fenômeno religioso, p. 204

A religião na visão da Sociologia clássica, p. 207

Auguste Comte, p. 207

Émile Durkheim, p. 208

Max Weber, p. 209

Karl Marx, p. 210

A religião em tempos de globalização, p. 211

Fundamentalismo religioso, p. 214

Desfazendo mitos, p. 215

Conflitos religiosos no mundo, p. 217

A religiosidade no Brasil, p. 221

Diálogos interdisciplinares, p. 224

Revisar e sistematizar, p. 224

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 225

Descubra mais, p. 227

Bibliografia, p. 227



8

FONTE: Filipe Rocha/Arquivo da editora



CAPÍTULO 8 - Cidadania, política e Estado, p. 229

Cidadania é uma conquista, p. 230

As origens dos conceitos de cidadão e cidadania, p. 231

Políticas públicas: dilemas da cidadania, p. 235

Condições da cidadania no Brasil, p. 238

Poder e política: exercício e participação, p. 240

Cidadania: entre o público e o privado, p. 245

Estado e sociedade, p. 247

Estado e governos, p. 250

Duas visões sobre o Estado capitalista, p. 253

Autoritarismos e totalitarismos: ameaças à cidadania, p. 256

Diálogos interdisciplinares, p. 257

Revisar e sistematizar, p. 258

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 258

Descubra mais, p. 260

Bibliografia, p. 261



CAPÍTULO 9 - Movimentos sociais, p. 263

Movimentos sociais na pauta das Ciências Sociais, p. 264

Movimentos sociais, classes e pobreza, p. 265

Características dos movimentos sociais, p. 269

A questão da identidade, p. 270

Breve história dos movimentos sociais, p. 272

Os movimentos operários, p. 272

Temas e protagonistas dos movimentos sociais contemporâneos, p. 274

Movimentos sociais na América Latina, p. 275

Movimentos sociais latino-americanos e o Estado neoliberal, p. 279

A exclusão social e os movimentos sociais na atualidade, p. 281

As muitas configurações da exclusão, p. 281

Movimentos sociais na era da globalização, p. 284

Diálogos interdisciplinares, p. 286

Revisar e sistematizar, p. 287

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 287

Descubra mais, p. 289

Bibliografia, p. 289



CAPÍTULO 10 - Educação, escola e transformação social, p. 291

Educação, escola e sociedade, p. 292

A escola como espaço de socialização, p. 294

As Ciências Sociais e a educação, p. 296

Educação para o presente, p. 298

Além dos portões da escola, p. 299

Sistemas escolares e reprodução social, p. 301

Concepções da educação no Brasil, p. 304

Problemas e dificuldades da escola brasileira no século XX, p. 306

Desafios do ensino no Brasil, p. 308

Educação e ensino: um direito, p. 312

Diálogos interdisciplinares, p. 313

Revisar e sistematizar, p. 313

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 314

Descubra mais, p. 315

Bibliografia, p. 315

FONTE: Filipe Rocha/Arquivo da editora

9

FONTE: Filipe Rocha/Arquivo da editora



CAPÍTULO 11 - Juventude: uma invenção da sociedade, p. 317

As juventudes, p. 318

Estudos da Antropologia: ritos de passagem, p. 320

Juventude: um tempo de preparação e responsabilidades, p. 322

Sociologia e juventude por Mannheim, p. 324

Juventude e sociedade, p. 326

O conceito de geração, p. 329

Jovens e identidade nos grupos sociais, p. 330

O jovem no Brasil: movimentos e discriminação, p. 333

Juventude e autonomia, p. 337

Desafios para os jovens de hoje, p. 339

Diálogos interdisciplinares, p. 341

Revisar e sistematizar, p. 341

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 342

Descubra mais, p. 343

Bibliografia, p. 343



CAPÍTULO 12 - O ambiente como questão global, p. 345

A relação ser humano-natureza, p. 346

Progresso ou dominação?, p. 347

Sociedade de risco, p. 351

A construção da natureza, p. 354

Ecossistemas e mudanças globais, p. 356

A necessidade de uma consciência ecológica, p. 358

Os dois lados da inovação, p. 360

Desenvolvimento capitalista e meio ambiente, p. 364

Crise e impasses globais, p. 366

Em busca de uma sociedade sustentável, p. 368

Diálogos interdisciplinares, p. 371

Revisar e sistematizar, p. 371

Teste seus conhecimentos e habilidades, p. 372

Descubra mais, p. 373

Bibliografia, p. 374

Questões do Enem e dos vestibulares, p. 375

Índice remissivo, p. 383

FONTE: Filipe Rocha/Arquivo da editora

10

11

CAPÍTULO 1 - As Ciências Sociais nasceram com a modernidade

LEGENDA: Ferro e carvão, quadro de William Bell Scott, produzido entre 1855 e 1860.

FONTE: Wallington Hall, Northumberland, Inglaterra/Wikimedia Commons



ESTUDAREMOS NESTE CAPÍTULO:

o fenômeno "sociedade" como objeto da ciência, movimento iniciado no contexto das revoluções políticas, econômicas e culturais dos séculos XVIII e XIX e que deu origem às Ciências Sociais: a Sociologia, a Antropologia e a Ciência Política. A preocupação com a ordem e as mudanças sociais na modernidade fez despontar alguns autores que se tornaram clássicos. Entre esses, estão Durkheim (1858-1917), Marx (1818-1883) e Weber (1864-1920), que chegaram a conceitos diferentes de sociedade com base no conhecimento científico da sua época. As Ciências Sociais elegeram os fenômenos sociais como seu objeto de estudo e desenvolveram métodos científicos para interpretar a histórica e complexa realidade social.

12

As Ciências Sociais são fruto da transformação social

Apesar de terem sido formalmente reconhecidas como ciência apenas no século XIX, as Ciências Sociais devem sua origem ao intenso processo de mudanças na sociedade desencadeado pelas revoluções burguesas, principalmente a Primeira Revolução Industrial (aproximadamente 1750-1850), a Revolução Francesa (1789) e o Iluminismo, movimento intelectual que embasou as mudanças em curso. Por que tais acontecimentos estão relacionados ao surgimento das Ciências Sociais? Justamente por estudarem as formas de produzir, viver, organizar e pensar a sociedade, áreas profundamente influenciadas por essas revoluções.

A Revolução Industrial transformou o modo de produzir, modificando a maneira de os seres humanos se relacionarem. Fatores como o aperfeiçoamento e as inovações tecnológicas, a criação da máquina a vapor, a acumulação de capital por parte da burguesia em ascensão, o domínio inglês do comércio mundial e a liberação da mão de obra para as cidades levaram a um acelerado crescimento da população e da produção. A produção em série de alimentos, tecidos, objetos e máquinas aumentou a oferta e barateou o custo final dos produtos, marcando o declínio do modo de produção artesanal também no campo. Isso, além de medidas como o cercamento dos campos na Inglaterra, gerou um êxodo rural de camponeses sem terra e sem trabalho, dando início a um acelerado processo de urbanização.

Glossário:



Iluminismo: movimento intelectual, desenvolvido na Europa no século XVIII. Foi considerado um movimento fundamentado pela ideologia burguesa, por desejar abolir o absolutismo e aspirar à liberdade econômica, mediante o fim da intervenção do Estado no comércio e nas manufaturas.

cercamento: processo ocorrido a partir do século XVI, pelo qual grandes e médios proprietários de terra tomaram para si, com a conivência do Estado, áreas agrícolas de uso comum. Essas áreas foram usadas para criação de ovelhas, com o objetivo de abastecer de lã as indústrias têxteis.

Fim do glossário.

LEGENDA: A Revolução Industrial modificou por completo as relações sociais e de trabalho das sociedades europeias, consolidando o capitalismo. Na gravura, de 1833, a representação de uma tecelagem de algodão inglesa.

FONTE: Arquivo Hulton/Getty Images




Yüklə 2,99 Mb.

Dostları ilə paylaş:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   56




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©muhaz.org 2020
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə