Gustavo Bernardo educaçÃo pelo argumento colaboração de gisele de carvalho rio de Janeiro – 2000 Copyngh, 2000 by Gustavo Bernardo Direitos desta edição reservados à editora rocco ltda rua Rodrigo Silva, 26 5° andar


André Comte-Sponville. Obra citada, p 264



Yüklə 0,67 Mb.
səhifə15/15
tarix23.01.2018
ölçüsü0,67 Mb.
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15

164 André Comte-Sponville. Obra citada, p 264

204

EDUCAÇÃO PELO ARGUMENTO

amor do ato criador. As religiões que conceberam essa renúncia, essa distância voluntária, esse apagamento voluntário de Deus, sua ausência aparente e sua presença secreta aqui embaixo, essas religiões são a verdadeira religião, a tradução em diferentes línguas da grande Revelação. As religiões que representam a divindade como comandando em toda parte onde tenha o poder de fazê-lo são falsas. Mesmo que monoteístas, são idólatras.165

Há um amor, que contém Eros mas o supera, que se atesta sobretudo por uma força que não se exerce, pelo recuo, pela doçura, pela delicadeza de existir menos. Há um amor potente justo ao recusar toda forma de onipotência, limitando a si mesmo e preferindo se negar a se afirmar, preferindo se retirar a se estender, preferindo até mesmo perder a possuir - ou a controlar. Esse amor refuta o amor platônico, na medida em que pode, na fórmula de Pavese, ”mostrar sua fraqueza sem que o outro se sirva dela para afirmar sua força”.

Esse amor é muito raro. Por isso mesmo, devemos colocálo em nosso horizonte regulador. Por isso mesmo, talvez, possa inspirar não thefiction ofGod, mas uma ficção de mestres e de discípulos que se encontrem aqui, e agora.

»165 Idem, ibidem, p. 294.

205

15 À GUISA DE CONCLUSÃO

A primeira parte deste livro propôs uma prática escolar que articulasse todas as disciplinas a partir do ensino de redação e de lógica do discurso, enfocando o desenvolvimento da argumentação.

A segunda parte deu um passo adiante, argumentando a favor de um sistema de avaliação para a escola, inteiramente centrado em textos argumentativos e que transformasse a cola consentida em consulta necessária.

Acreditamos que as partes são coerentes uma em relação à outra. Em ambos os casos, fazemos uma proposta radicalmente interdisciplinar, que pretende justamente envolver todas as disciplinas, optando não pela superficialidade de um ”tema comum”, mas pela construção de um programa de investigação comum - programa este eminentemente ético.

Mas esta é a nossa crença. O leitor, por favor, nos conte a sua.

206

ESTANTE

ABÉLARD, Pierre. Lógica para principiantes. Tradução de Carlos Arthur Ribeiro do Nascimento. Petrópolis, Vozes, 1994.

ADORNO, Theodor & HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Tradução de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1996.

ALSTON, P. W. Filosofia da linguagem. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1977.

ALVES, Rubem. Filosofia da ciência introdução ao jogo e suas regras. São Paulo, Brasiliense, 1995

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco e outras obras. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Borheim da versão inglesa. São Paulo, Abril Cultural, 1979 AUGE, Marc. A guerra dos sonhos. Exercícios de etnoficção. Tradução de Maria Lúcia Pereira. Campinas, Papirus, 1998.

BARNES, A. Um monte de mentiras para uma sociologia da mentira. Tradução de Sônia Panadés. Campinas, Papirus, 1996.

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. Tradução de Lúcia Guidicini & Alessandra Berti Contessa. São Paulo, Martins Fontes, 1991

BENDER, John. Imagming the penitentiary fiction and the architecture of mind m eighteeníh-century. England. Chicago. The University of Chicago Press, 1987.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas magia e técnica, arte e política. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo, Brasiliense, 1993.

BENTHAM, Jeremy. The panopticon writings Edited and mtroduced by Miran Bozovic London Verso, 1995.

BJORKMAN, Stig. Woody Allen por Woody Allen. Tradução de Eduardo Vivácqua. Rio de Janeiro, Nórdica, 1995.

BORHEIM, Gerd Alberto. Dialética teoria e práxis. São Paulo, Globo /EdUSP, 1977.

BROCKMAN, John & MATSON, Katmka. As coisas são assim. Pequeno repertório científico do mundo que nos cerca. Tradução de Diogo Meyer & Suzana Couto. São Paulo, Companhia das Letras, 1997.

207
BRUNEL, Pierre. Dicionário de mitos literários. Tradução de Carlos Sussekind & outros. Rio de Janeiro / Brasília: José Olympio / Editora da UnB, 1997.

CACASO (Antônio Carlos de Brito). Mar de mineiro. Rio de Janeiro: edição do autor, 1982.

CALAMANDREI, Piero. Eles, os juizes, vistos por um advogado. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

CANTO JR, Raimundo Renato Vieira & SALES, Lúcia Helena Nunes. Quem não cola não sai da escola: um estudo sobre o uso da cola no processo de avaliação da aprendizagem no curso de magistério no município de Óbidos. Óbidos: Universidade Federal do Pará, 1999.

CARROL, Lewis. A venturas de Alice no país das maravilhas e através do espelho. Tradução de Sebastião Uchoa Leite. Rio de Janeiro: Fontana / Summus, 1977.

CAVALCANTI NETTO, João Uchôa. O direito, um mito. Rio de Janeiro: Record, 1989.

CERQUEIRA, Luiz Alberto & OLIVA, Alberto. Introdução à lógica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1980.

CERVANTES SAAVEDRA, Miguel de. El ingenioso hidalgo Don Quijote de la Mancha. Madrid: Editorial San Martin, 1992.

CHEVALIER, Jean & GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Tradução de Vera da Costa e Silva & outros. Rio de Janeiro: José Olympio, 1997.

CHOMSKY, Noam. Linguagem e pensamento. Tradução de Francisco Guimarães. Petrópolis: Vozes, 1971.

COMPAGNON, Antoine. O trabalho da citação. Tradução de Cleonice Mourão. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1996.

COMTE-SPONVILLE, André. Pequeno tratado das grandes virtudes. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

COPI, Irving & BURGESS-JACKSON, Keith. Informal logic. New Jersey: Prentice-Hall, 1996.

COPI, Irving. Introdução à lógica. Tradução de Álvaro Cabral. São Paulo: Mestre Jou, 1978.

CORACINI, Maria José. Um fazer persuasivo: o discurso subjetivo da ciência. Campinas: Pontes, 1991.

COSTA VAL, Maria da Graça. Redação e textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

CROSSEN, Cynthia. O fundo falso das pesquisas: a ciência das verdades torcidas. Tradução de Roberto Teixeira. Rio de Janeiro: Revan, 1996.

CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. Tradução de Peter Pál Pelbart. Rio de Janeiro: Editora 34, 1997.

: Foucault. Tradução de Claudia Sant’anna Martins. São Paulo: Brasiliense, 1988.

208
Lógica do sentido Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. SãoPaulo: Perspectiva, 1974.

DESCARTES, René. Discurso sobre o método. Tradução de Torrien Guimarães São Paulo: Hemus, 1975.

DOMINGUES, Diana [org ]. A arte no século XXI. a humanização das tecnologias. São Paulo: Editora da UNESP, 1997.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

FIORIN, José Luiz & PLATÃO SAVIOLLI, Francisco. Lições de texto. Leitura e redação. São Paulo: Ática, 1996.

FLUSSER, Vilém. Da religiosidade. São Paulo: Comissão Estadual de Cultura, 1967.

Ficções filosóficas. São Paulo: EdUSP, 1998.

La force du quotidien Traduit de 1’anglais par Jean Mesne et Barbara Niceall. Paris: MaisonMame, 1973.

Língua e realidade. São Paulo: Herder, 1963.

Los gestos. fenomenología y comunicación. Versión de Cláudio Gancho. Barcelona: Herder, 1994.

Natural mente vários acessos ao significado de natureza. São Paulo: Duas Cidades, 1979.

FOLHA DE S PAULO. Manual escolar de redação. São Paulo: Ática, 1994.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. uma arqueologia das ciências humanas. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

A verdade e as formas jurídicas. Tradução de Roberto Cabral de MeloMachado & Eduardo Jardim Morais. Rio de Janeiro: Nau Editora, 1996.

Vigiar e punir. história da violência nas prisões. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1996.

FREITAG, Bárbara, COSTA, Wanderley & MOTTA, Valéria. O livro didático em questão. São Paulo: Cortez, 1992.

FREITAG, Bárbara. Itinerários de Antígona a questão da moralidade. Campinas: Papirus, 1992

FREUD, Sigmund. Escritores criativos e devaneio. Tradução coordenada por Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1978

GARCIA, Luiz [org ]. O Globo. Manual de redação e estilo. São Paulo: Globo, 1997.

GARCIA, Othon Moacir. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

GATTÉGNO, Jean-Pierre. A noite do professor. Tradução de Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

GLEICK, James. Caos. a criação de uma nova ciência. Tradução de Waltencir Dutra. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

209
GOMBRICH, Ernst Hans. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. Tradução de Raul de Sá Barbosa. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

GRABE, William & KAPLAN, Robert. Theory & practice of writing. New York: Addison Wesley Longman, 1996.

GRIMAL, Pierre. Dicionário da mitologia grega e romana. Tradução de Victor Jabouille. Lisboa / Rio de Janeiro: Difel / Bertrand Brasil, 1992.

GUERREIRO, Mário. O dizível e o indizível: filosofia da linguagem. Campinas: Papirus, 1989.

GUSTAVO BERNARDO. ”Leitura e interpretação: a suspeita”; in Revista Tempo Brasileiro n” 124. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

: Cola, sombra da escola. Rio de Janeiro: EdUERJ / Escola Parque, 1997.

Quem pode julgar a primeira pedra?, ou: ética e literatura. Rio de Janeiro: UERJ / Relume-Dumará, 1993.

-: Redação inquieta. Porto Alegre: Globo, 1985.

HARRIS, John. Introducing writing. London: Penguin, 1993.

HEGENBERG, Leonidas [org.]. Iniciação à lógica e à metodologia da ciência. São Paulo: Cultrix, 1976.

HEGENBERG, Leonidas. Lógica simbólica. São Paulo: Herder / EdUSP, 1966.

HEISENBERG, Wemer. A parte e o todo: encontros e conversas sobre física, filosofia, religião e política. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

HERMMANN, Fábio. Clínica psicanalítica: a arte da interpretação. São Paulo: Brasiliense, 1991.

HUGUES, Patrick & BRECHT, George. Círculos viciosos e infinito: antologia de paradoxos. Tradução de Maria Alice Gomes da Costa. Lisboa, Gradiva, 1993.

HUSSERL, Edmund. Investigações lógicas. Tradução de Zeljko Loparic & Andréa Loparic. São Paulo: Nova Cultural, 1992.

Coleção Os Pensadores. : Meditações cartesianas. Tradução de Maria Gorete Lopes e Sousa. Porto: Rés-Editora, sd.

IDE, Pascal. A arte de pensar. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

ISER, Wolfgang. The act ofreading: a theory ofaesíhetic response. Baltimore and London: Johns Hopkins University Press, 1991.

JACQUARD, Albert. Filosofia para não-filósofos. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

JAPIASSU, Hilton & MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.

KANT, Immanuel. Crítica da razão prática. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70,1986.

- Crítica da razão pura. Tradução de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1989.

210
KELSEN, Hans. A ilusão da justiça. Tradução de Sérgio Tellaroli. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

KIERKEGAARD, S0ren Aabye. O conceito de ironia - constantemente referido a Sócrates. Tradução de Álvaro Luiz Montenegro Valls. Petrópolis: Vozes, 1991.

KOCH, Ingedore. Argumentação e linguagem. São Paulo: Cortez, 1996.

KONDER, Leandro. A derrota da dialética: a recepção das idéias de Marx no Brasil, até o começo dos anos trinta. Rio de Janeiro: Campus, 1988.

: Hegel: a razão quase enlouquecida. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

: Introdução ao fascismo. Rio de Janeiro: Graal, 1991.

: O futuro da filosofia da práxis: o pensamento de Marx no século XXI. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

- O que é dialética. São Paulo: Brasiliense / Abril Cultural, 1985.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Tradução de Célia Neves & Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

KREMER-MARIETTI, Angèle. A ética. Tradução de Constança Marcondes César. Campinas: Papirus, 1989.

: A moral. Tradução de Isabel Saint-Aubyn. Lisboa: Edições 70, 1990.

LABRUNE, Monique & JAFFRO, Laurent [org.]. Gradus philosophicus: a construção da filosofia ocidental. Tradução de Cristina Murachco. São Paulo: Mandarim, 1996.

LENTIN, Jean-Pierre. Penso, logo me engano: breve história do besteiro! científico. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Ática, 1996.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: 34,1993.

LINS E SILVA, Evandro. Arca de guardados: vultos e momentos nos caminhos da vida. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

: ”De Beccaria a Filippo Gramática”. Manuscrito inédito.

: ”O fim das prisões”. Entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Folhetim, 14/02/1982, p.5.

LOPES, Amália de M. ”Da Caligrafia à Escrita”. In CELANI, Maria Antonieta A. (org.). Ensino de Segunda Língua. São Paulo: EDUC, 1997 (29-43).

LOPES, Edward. Fundamentos da lingüística contemporânea. São Paulo: Cultrix, 1977.

LUFT, Celso Pedro. Língua e liberdade. Porto Alegre: L&PM, 1985.

- O romance das palavras: uma história etimológica e semântica. São Paulo: Ática, 1996.

LUNGARZO, Carlos. O que é lógica. São Paulo: Brasiliense, 1990.

MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Papéis avulsos. Belo Horizonte: Garnier, 1989.

MACHADO, Nilson José. Matemática e língua materna: análise de uma impregnação mútua. São Paulo: Cortez, 1993.

MAMET, David. Three uses ofthe knife: on the nature and purpose of drama. New York: Columbia University Press, 1998.

211
MANGUEL, Alberto. Uma história da leitura. Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

MATTOSO CÂMARA JR, Joaquim. Dicionário de lingüística e gramática. Petrópolis: Vozes, 1978.

McCLOUD, Scott. Desvendando os quadrinhos. Tradução de Hélcio de Carvalho & Mansa Paro. São Paulo: Makron Books, 1995.

MEYER, Michel. Questions de rhétorique: langage, raison et séduction. Paris: Lê Livre de Poche, 1994.

MILLER, J. Hillis. A ética da leitura. Tradução de Eliane Fittipaldi e Kátia Orberg. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

MILLOT, Catherine. Freud antipedagogo. Tradução de Ari Roitman. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1987.

MILLS, Sara. Discourse. New York: Routledge, 1997.

MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Oficina de lingüística aplicada. Campinas:

Mercado das Letras, 1996.

MORA, José Ferrater. Dicionário de filosofia. Tradução de Roberto Leal

Ferreira & Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MORENTE, Manuel Garcia. Fundamentos de filosofia: lições preliminares. Tradução de Guilhermo de la Cruz Coronado. São Paulo: Mestre Jou, 1980.

NAHRA, Cinara & WEBER, Ivan Hingo. Através da lógica. Petrópolis: Vozes,1997.

NIETZSCHE, Friedrich. Crepúsculo dos ídolos. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1988.

NOVAES, Adauto [org.]. Ética. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

NOVELLO, Mário. Cosmos e contexto. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1988.

ORTEGA Y GASSET, José. A desumanização da arte. Tradução de Ricardo Araújo. São Paulo: Cortez, 1991.

- A rebelião das massas. Tradução de Marylene Pinto Michael. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

Meditaciones del Quijote. México: Red Editorial Iberoamericana, 1987.

: O que é a filosofia? Tradução de José Bento. Lisboa: Edições Cotovia, 1994.

PAQUET, Mareei. René Magritte: o pensamento tornado visível. Tradução de Lucília Filipe. Kõln: Taschen, 1995.

PERELMAN, Chaim & OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

PERELMAN, Chaim. Ética e Direito. Tradução de Maria Ermantina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

PERINI, Mário. Gramática descritiva do português. São Paulo: Ática, 1996.

PESSOA, Fernando. Obra poética. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1972.

212
PETRAS, Ross & Kathryn. O melhor do besteirol: as 597 maiores asneiras jamais ditas. Tradução de Ruy Jungmann. Rio de Janeiro: Ediouro, 1995.

PICASSO, Pablo. Picasso’s one-liners. New York: Artisan, 1997.

PLATÃO. O Simpósio, ou: do amor. Tradução de Pinharanda Gomes. Lisboa: Guimarães Editores, 1986.

PLEBE, Armando & EMANUELE, Pietro. Manual de retórica. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

POSSENTI, Sírio. Os humores da língua: análises lingüísticas de piadas. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

PRIGOGINE, Ilya. O nascimento do tempo. Tradução de João Gama. Lisboa: Edições 70, 1991.

QUINE, W. V. Filosofia da lógica. Tradução de Therezinha Alvim Cannabrava. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1972.

QUINO (Joaquín Salvador Lavado). Quinoterapia. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992.

REISS, Timothy J. Knowledge, discovery and imagination in early Modern Eu- rope: the rise of aesthetic rationalism. New York: Cambridge University Press, 1997.

RINALDI, Doris. A ética da diferença: um debate entre psicanálise e antropologia. Rio de Janeiro: EdUERJ / Jorge Zahar Editor, 1996.

RODRIGUES LAPA, Manuel. Estilística da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1973.

RÓNAI, Paulo. Não perca o seu latim. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

ROTTENBERG, Annette. Elements of argument: a text and reader. Boston: Bedford Books, 1994.

RUSSELL, Bertrand. Abe da relatividade. Tradução de Augusto Fernandes. Lisboa: Europa-América, 1969.

r Ensaios escolhidos. Tradução de Pablo Mariconda. São Paulo: Nova Cultural, 1992.

Coleção Os Pensadores. : Ensaios impopulares. Tradução de Brenno Silveira. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956.

- História da filosofia ocidental: volumes 1, 2 e 3. Tradução de Brenno Silveira. São Paulo: Nacional, 1977.

SAGAN, Carl. Cosmos. Tradução de Angela do Nascimento Machado. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982.

- O mundo assombrado pelos demônios: a ciência vista como uma vela no escuro. Tradução de Rosaura Eichemberg. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

SALMON, Wesley. Lógica. Tradução de Leonidas Hegenberg & Octanny Silveira da Mota. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SAVATER, Fernando. Criaturas del aire. Barcelona: Destino, 1989.

- Ética para meu filho. Tradução de Mônica Stahel. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

- Panfleto contra el todo. Madrid: Alianza Editorial, 1995.

213
SAYEG-SIQUEIRA, João Hilton. Organização do texto dissertativo. São Paulo: Selinunte, 1997.

SCHOPENHAUER, Arthur. Como vencer um debate sem precisar ter razão. Tradução de Daniela Caldas & Olavo de Carvalho. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

SEARLE, John R. O mistério da consciência. Tradução de André Yuji Pinheiro Uema & Vladimir Safatle. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

- Os actos de fala: um ensaio de filosofia da linguagem. Tradução de Carlos Vogt & outros. Coimbra: Almedina, 1981.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 1993.

STENGERS, Isabelle. Quem tem medo da ciência? Tradução de Eloísa de Araújo Ribeiro. São Paulo: Siciliano, 1990.

TEIXEIRA COELHO. Dicionário do brasileiro de bolso. São Paulo: Siciliano, 1991.

TOSCANI, Oliviero. A publicidade é um cadáver que nos sorri. Tradução de Luiz Cavalcanti Guerra. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996.

TOULMIN, Stephen. The uses ofargument. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

TOZI, Renzo. Dicionário de sentenças latinas e gregas. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

TUGENDHAT, Ernst & WOLF, Ursula. Propedêutica lógico-semântica. Tradução de Fernando Augusto da Rocha Rodrigues. Petrópolis: Vozes, 1996.

VASQUES, Edgar. O gênio gabiru. Porto Alegre: L&PM, 1998.

VAZQUEZ, Adolfo Sanchez. Ética. Tradução de João DelPAnna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1992.

VOGLER, Christopher. A jornada do escritor. Tradução de Ana Maria Machado. Rio de Janeiro: Ampersand, 1997.

WERNECK DOS SANTOS, Leonor [org.]. Discurso, coesão e argumentação. Rio de Janeiro: Oficina do Autor, 1996.

WHITEHEAD, Alfred North. A função da razão. Tradução de Fernando Dídimo Vieira. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1988.

ZAMIATIN, Eugene. Nós. Tradução de Lia Alverga Wyler. Rio de Janeiro: Anima, 1983.

214

Yüklə 0,67 Mb.

Dostları ilə paylaş:
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©muhaz.org 2020
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə