Geografia 6º ano



Yüklə 2,37 Mb.
səhifə1/76
tarix11.08.2018
ölçüsü2,37 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   76

Página 1

Geografia

ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS



GEOGRAFIA 6º ANO

Para Viver Juntos

6

Fig. 1 (p. 1)

Manual do Professor

Organizadora: Edições SM
Obra coletiva concebida, desenvolvida e produzida por Edições SM.

Editor responsável: Fábio Bonna Moreirão
Bacharel e Licenciado em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP).
Editor de livros didáticos.

Fernando dos Santos Sampaio
Bacharel em Geografia e Doutor em Geografia Humana pela USP.
Professor de Geografia em escolas da rede pública e particular e na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

São Paulo, 4ª edição 2015

Logotipo SM

Página 2

Para Viver Juntos – Geografia 6

© Edições SM Ltda.

Todos os direitos reservados

Direção editorial Juliane Matsubara Barroso

Gerência editorial Roberta Lombardi Martins

Gerência de processos editoriais Marisa Iniesta Martin

Coordenação de área Fábio Bonna Moreirão

Edição Flávio Manzatto de Souza, Gisele Manoel, Vinícius Rodrigues Alvim Amaral, Felipe Khouri Barrionuevo

Colaboração técnico-pedagógica José Raimundo Sousa Ribeiro Junior

Assistência administrativa editorial Alzira Aparecida Bertholim Meana, Camila Cunha, Flavia Casellato, Silvana Siqueira

Preparação e revisão Cláudia Rodrigues do Espírito Santo (Coord.), Ana Paula Ribeiro Migiyama, Berenice Baeder, Eliana Vila Nova de Souza, Eliane Santoro, Fátima Cezare Pasculli, Fernanda Oliveira Souza, Izilda de Oliveira Pereira, Nancy Helena Dias, Rosinei Aparecida Rodrigues Araújo, Sandra Regina Fernandes, Valéria Cristina Borsanelli, Vera Lúcia Rocha, Marco Aurélio Feltran (apoio de equipe)

Coordenação de design Erika Tiemi Yamauchi Asato

Coordenação de arte Ulisses Pires

Projeto gráfico Aurélio Camilo

Capa Erika Tiemi Yamauchi Asato, Rafael Vianna Leal. Fotografia: Pescadores no Rio Li, em Xingping, China, 2014. Vadim Petrakov/Shutterstock.com/ID/BR

Edição de arte Angelice Taioque Moreira, Melissa Steiner Rocha Antunes

Editoração eletrônica Equipe SM

Iconografia Josiane Laurentino (Coord.), Bianca Fanelli, Susan Eiko Diaz, Caio Mazzilli

Tratamento de imagem Marcelo Casaro

Fabricação Alexander Maeda

Impressão

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Sampaio, Fernando dos Santos
Para viver juntos : geografia, 6º ano : anos finais : ensino fundamental / Fernando dos Santos Sampaio ; organizadora Edições SM ; obra coletiva concebida, desenvolvida e produzida por Edições SM ; editor responsável Fábio Bonna Moreirão. — 4. ed. — São Paulo : Edições SM, 2015. — (Para viver juntos)
Suplementado pelo manual do professor.
Bibliografia.
ISBN 978-85-418-0897-2 (aluno)
ISBN 978-85-418-0898-9 (professor)
1. Geografia (Ensino fundamental) I. Moreirão, Fábio Bonna. II. Título. III. Série.
15-03988 CDD-372.891

Índices para catálogo sistemático: 1. Geografia : Ensino fundamental 372.891

4ª edição, 2015

Logotipo ABDR

Logotipo SM

Edições SM Ltda.
Rua Tenente Lycurgo Lopes da Cruz, 55
Água Branca 05036-120 São Paulo SP Brasil
Tel. 11 2111-7400
edicoessm@grupo-sm.com
www.edicoessm.com.br

Página 3

APRESENTAÇÃO

O espaço geográfico revela a relação entre os elementos naturais e a ação de diferentes grupos humanos sobre esses elementos e também sobre as paisagens construídas. Essa relação é a base para compreender as dinâmicas populacionais, os sistemas de produção, as desigualdades, os problemas ambientais, as relações de poder e outras questões vivenciadas no dia a dia.

Ao investigar as características dos diferentes espaços, compreendendo as principais transformações que sofreram ao longo do tempo, o estudo da Geografia tem como objetivo principal contribuir para a formação de pessoas críticas – capazes de julgar e tomar decisões – e atuantes – aptas a transformar seus lugares de vivência.

Esta coleção oferece a você caminhos para conhecer melhor o mundo em que vive, compreendendo as diversas relações que nele se estabelecem, em diferentes tempos e espaços.

Além do texto, principal meio de transmissão desse conhecimento, você encontrará grande diversidade de imagens, como fotografias, mapas, gráficos e ilustrações. Esses recursos o auxiliarão nesses caminhos de descobertas e aprendizado.

Desejo que você aproveite seus estudos e que cada vez mais se sinta parte do mundo em que vive, atuando de modo positivo sobre ele.



O autor

Página 4

CONHEÇA SEU LIVRO

Fig. 1 (p. 4)

O que você vai aprender
Apresenta, de forma resumida, os principais conteúdos do capítulo.

Converse com os colegas
Traz questões para você e seus colegas conversarem sobre a imagem e também sobre os conteúdos que serão estudados.

Um breve texto trata dos elementos centrais dos conteúdos que serão estudados no capítulo, mostrando a articulação entre eles.

Cada capítulo é iniciado com uma grande imagem relacionada aos conteúdos que serão estudados.

Fig. 2 (p. 4)

Os capítulos estão divididos por módulos. Em cada módulo, além do texto principal, há imagens variadas relacionadas aos conteúdos.

Há, ainda, boxes que trazem assuntos complementares e interessantes sobre os conteúdos desenvolvidos no texto.

Fig. 3 (p. 4)

Boxe de valor
Nesse box, são apresentados temas para você discutir com os colegas. Esses temas visam relacionar o assunto tratado no texto principal à realidade em que você vive.

Palavras de compreensão mais difícil estão destacadas e são esclarecidas ao final do livro, no glossário.



Fig. 4 (p. 4)

Verifique o que aprendeu
Ao final de cada módulo, são propostas algumas perguntas que retomam os principais conteúdos estudados.

Fig. 5 (p. 4)

Atividades
Nessa seção, você é convidado a verificar seu aprendizado por meio de descrições, comparações, leituras, elaboração de sínteses e críticas, levantamento de hipóteses.

Fig. 6 (p. 4)

Interligados
Na seção Interligados, você e seus colegas vão trabalhar em grupo para desenvolver projetos relacionados aos assuntos estudados.

Página 5

Fig. 1 (p. 5)

Mundo aberto
Essa seção apresenta textos que promovem a valorização da pluralidade étnica e cultural e o respeito às diferenças.

Fig. 2 (p. 5)

Lendo Geografia
Aqui, você é convidado a ler e interpretar textos citados por diferentes fontes, como jornais, revistas, livros, sites, relatórios governamentais e institucionais.

Fig. 3 (p. 5)

Fazendo Geografia
Um momento para ler, comparar, interpretar e analisar diferentes representações cartográficas, como mapas, plantas e imagens de satélite, além de gráficos de diversos tipos.

Fig. 4 (p. 5)

Aprender a...
Apresenta técnicas e procedimentos para que você possa realizar atividades práticas, como elaborar mapas e gráficos, ler e comparar imagens de satélite, construir instrumentos, montar um diário de viagem, entre outras.

Fig. 5 (p. 5)

Viajando pelo mundo
Por meio de texto, imagens, gráficos e mapas, apresenta diferentes aspectos (históricos, naturais, culturais, econômicos) e curiosidades sobre vários países do mundo.

Fig. 6 (p. 5)

Questões globais
O capítulo é encerrado com novas atividades, que possibilitam aprofundar seus conhecimentos sobre os temas estudados nos diferentes módulos.

Fig. 7 (p. 5)

Jogo
Traz a proposta de um jogo para que você e seus colegas retomem alguns temas estudados no volume.

Fig. 8 (p. 5)

Síntese
Relaciona os principais conceitos estudados, compondo um resumo do capítulo.

Para saber mais
Aqui, você encontra sugestões de leitura de livros e de sites da internet para aprofundar seus conhecimentos sobre os temas estudados.

Página 6

SUMÁRIO

1 Paisagem e lugar 8

Fig. 1 (p. 6)

Rubens Chaves/Pulsar Imagens



1. Paisagem 10

2. Lugar e espaço vivido 14

Aprender a...: Ler a paisagem e refletir sobre a vida do lugar 19

Viajando pelo mundo: Egito 20

Lendo Geografia: O arraial de Meia Ponte 21

Fazendo Geografia: Croquis geográficos 22

Questões globais 24

Síntese 25

2 Orientação e localização 26

Fig. 2 (p. 6)

Costas Anton Dumitrescu/Shutterstock.com/ID/BR



1. Orientação 28

Aprender a...: Construir e usar uma bússola 33



2. Localização 34

Viajando pelo mundo: Israel 38

Lendo Geografia: Perdido nunca mais 39

Fazendo Geografia: Imagem de satélite 40

Questões globais 42

Síntese 43



3 Interpretação cartográfica 44

Fig. 3 (p. 6)

SuperStock/Glowimages



1. Aprendendo a ler um mapa 46

Aprender a...: Utilizar a escala para reduzir ou ampliar objetos 51



2. Representações cartográficas 52

Mundo aberto: Cartografia indígena: uma maneira diferente de criar mapas 57

Viajando pelo mundo: Grécia 58

Lendo Geografia: Mapas táteis como instrumento de inclusão social 59

Fazendo Geografia: Mapas temáticos 60

Questões globais 62

Síntese 63

Interligados

As transformações na paisagem ao longo do tempo 64

4 O planeta Terra 66

Fig. 4 (p. 6)

NG Images/Alamy/Latinstock



1. A Terra no Sistema Solar 68

2. Os principais movimentos da Terra 72

Aprender a...: Simular a rotação da Terra 77

Viajando pelo mundo: Noruega 78

Lendo Geografia: Cenário: a Lua 79

Fazendo Geografia: Representação de fusos horários 80

Questões globais 82

Síntese 83

Fig. 5 (p. 6)

Garry Gay/Photographer’s Choice/Getty Images



Página 7

5 A crosta terrestre 84

Fig. 1 (p. 7)

Rodrigo Baleia/Folhapress



1. A Terra 86

Mundo aberto: Transformando lixo em produtos e empregos 93



2. Combustíveis fósseis 94

Aprender a...: Analisar um argumento 99



3. Os solos 100

Viajando pelo mundo: Nepal 104

Lendo Geografia: Desertificação 105

Fazendo Geografia: Utilização de símbolos em mapas 106

Questões globais 108

Síntese 109



6 Formação e modelagem do relevo terrestre 110

Fig. 2 (p. 7)

Edu Lyra/Pulsar Imagens



1. Agentes externos: intemperismo e erosão 112

Mundo aberto: O Parque Indígena do Xingu 117



2. Agentes internos: as placas tectônicas 118

3. Agentes internos: vulcões e abalos sísmicos 124

Aprender a...: Identificar planos de visão 129



4. As unidades do relevo 130

Viajando pelo mundo: Nova Zelândia 136

Lendo Geografia: A atividade humana agrava desastres naturais 137

Fazendo Geografia: O mapa como recurso para demonstrar uma teoria 138

Questões globais 140

Síntese 141



Interligados

Trabalho de campo 142

7 A hidrosfera terrestre 144

Fig. 3 (p. 7)

Ana Leboucher/Only France/AFP



1. A água na Terra 146

2. O uso das águas oceânicas 150

3. As águas continentais 156

Aprender a...: Fazer e ler um gráfico de barras 163

Viajando pelo mundo: Escócia 164

Lendo Geografia: Haverá água para todos? 165

Fazendo Geografia: Representação de elementos com distribuição irregular 166

Questões globais 168

Síntese 169

8 A atmosfera terrestre 170

Fig. 4 (p. 7)

Frolova_Elena/Shutterstock.com/ID/BR



1. A atmosfera 172

2. Elementos atmosféricos 176

Mundo aberto: As pessoas mais atingidas pelos desastres naturais 181



3. Dinâmicas climáticas 182

Aprender a...: Ler um climograma 187



4. Poluição atmosférica e suas consequências 188

Viajando pelo mundo: Peru 192

Lendo Geografia: As mudanças climáticas globais e as alterações na biosfera global 193

Fazendo Geografia: Representação da distribuição das chuvas 194

Questões globais 196

Síntese 197



9 A biosfera 198

Fig. 5 (p. 7)

Fabio Colombini/Acervo do fotógrafo



1. A composição da biosfera 200

Mundo aberto: O capim dourado do Jalapão 205



2. Os ambientes naturais e a ação do ser humano 206

Aprender a...: Observar embalagens para ajudar a preservar o planeta 211

Viajando pelo mundo: Tanzânia 212

Lendo Geografia: A biodiversidade foi reduzida pela metade nos últimos 40 anos 213

Fazendo Geografia: Representação quantitativa da biodiversidade 214

Questões globais 216

Síntese 217

Jogo

Conhecendo o planeta Terra 218

Glossário 220

Referências bibliográficas 222

Fig. 6 (p. 7)

Astudio/Shutterstock.com/ID/BR



Página 8

Capítulo 1 - Paisagem e lugar

O QUE VOCÊ VAI APRENDER
A paisagem e seus elementos
As modificações da paisagem
Os lugares do espaço vivido
A ocupação e a transformação do espaço geográfico pelas pessoas converse com os colegas

1. A fotografia ao lado mostra uma parte da cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas. Identifique e descreva os elementos nela retratados.

Fig. 1 (p. 8)

Vista do bairro da Ponta Negra e da ponte sobre o Rio Negro, em Manaus (AM), em 2014.

Rubens Chaves/Pulsar Imagens

1. Os elementos mostrados na fotografia são as casas, os prédios, as ruas, as avenidas, a ponte, o rio, a vegetação, etc. É importante que os alunos percebam que a paisagem é formada por muitos elementos.



2. Quais dos elementos identificados na fotografia também estão presentes no lugar onde você mora?

3. Há elementos na imagem que não existem no lugar onde você mora? Quais?

2 e 3. Respostas pessoais. O objetivo dessas questões é levar os alunos a descrever uma paisagem que faça parte de seu cotidiano. Eles deverão perceber que existem semelhanças e diferenças entre os elementos presentes na paisagem mostrada na imagem e no lugar onde vivem.



4. Entre as atividades econômicas praticadas em Manaus estão as industriais, as comerciais e as turísticas. Em sua opinião, essas atividades podem provocar que modificações na paisagem dessa cidade?

4. Resposta pessoal. As atividades econômicas são elementos que influenciam na ocupação da cidade. Esta, além de lugar de moradia, é construída para atender ao desenvolvimento de diferentes atividades econômicas, as quais podem modificar a paisagem.



5. Você conhece lugares com as mesmas características mostradas na fotografia ao lado? Em caso afirmativo, cite exemplos.

5. Resposta pessoal. O objetivo da questão é fazer uma primeira aproximação entre o assunto a ser estudado e a realidade dos alunos.



Página 9

Paisagem é uma combinação dos elementos naturais e sociais que observamos em determinado momento, os quais são transformados pela ação da sociedade e pelos fenômenos naturais.

Lugar é o espaço em que vivemos e nos relacionamos com as outras pessoas. Nele estão nossa casa, nossa escola, as ruas por onde passamos. É no lugar que compartilhamos nossas alegrias e tristezas e também é lá que aprendemos as normas da sociedade da qual fazemos parte.

Página 10

Módulo 1 - Paisagem

Em nossas atividades cotidianas nos deparamos com diferentes paisagens em vários lugares. Identificar os elementos que as compõem e compreender a relação entre eles são ações importantes para a análise do espaço geográfico.

A paisagem na Geografia

Paisagem é tudo o que observamos em determinado momento. Por exemplo, o relevo, os objetos e os seres vivos presentes em um lugar são elementos que formam a paisagem. Esses elementos podem ser naturais ou sociais.

Montanhas, árvores, rios, mares, etc. são elementos naturais da paisagem.

Ruas, construções, pontes, indústrias, plantações e áreas de pastos são exemplos de elementos sociais da paisagem, pois foram feitos ou modificados pelas sociedades.

Os elementos naturais e os sociais da paisagem estão em constante interação e transformação. Identificar e analisar esses elementos possibilita compreender tanto o espaço geográfico quanto as relações entre a sociedade e a natureza.

Além disso, quando observamos a paisagem ao nosso redor, podemos descobrir muitas coisas sobre a história do espaço geográfico. Ler a paisagem é um caminho para entender onde e como vivemos.

Fig. 1 (p. 10)

Nesta paisagem em Maraã, no Amazonas, os elementos naturais e os sociais estão intimamente relacionados. Foto de 2014.

André Dib/Pulsar Imagens

Fig. 2 (p. 10)

Paisagem com elementos naturais em Alto Araguaia, no Mato Grosso. Foto de 2014.

André Dib/Pulsar Imagens

Fig. 3 (p. 10)

Paisagem com muitos elementos sociais em Curitiba, capital do Paraná. Foto de 2014.

Rubens Chaves/Pulsar Imagens

Página 11

Modificações das paisagens

As paisagens transformam-se continuamente, como resultado da interação entre a ação da natureza e a ação humana.

A paisagem reflete as ações dos elementos naturais, como os rios, as chuvas, os ventos, os mares, entre outros. Também revela a maneira como as pessoas vivem, seus costumes e a relação que mantêm com a natureza.

A construção de pontes ou a canalização de um rio, o plantio ou a derrubada de árvores são exemplos de interferências sociais sobre os elementos naturais das paisagens. Essas modificações dependem das necessidades e dos interesses dos diversos grupos da sociedade.

Uma paisagem em que predominam elementos sociais, como uma cidade, também pode ser transformada pela ação da natureza. É o que ocorre, por exemplo, quando uma chuva forte ou um terremoto destrói parte das construções.

Fig. 1 (p. 11)

O Grand Canyon, nos Estados Unidos, é um exemplo de transformação da paisagem pela ação da natureza. A ação da água do rio Colorado fez que seu leito fosse escavado ao longo do tempo. Foto de 2013.

weltreisender.tj/Shutterstock.com/ID/BR

Fig. 2 (p. 11)

Além da natureza, outros fatores, como a cultura, influenciam na transformação da paisagem. Vista de parte da cidade do Recife, em Pernambuco. Foto de 2013.

Leo Caldas/Pulsar Imagens

Petra

Fig. 3 (p. 11)

Petra, Jordânia. Foto de 2013.

diak/Shutterstock.com/ID/BR

Petra é uma cidade da Jordânia caracterizada por construções esculpidas nas rochas pelos povos que habitaram a região. A cidade, considerada uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, representa um exemplo da transformação da paisagem natural pelo ser humano.



Página 12

Compreender a paisagem e sua história

A observação detalhada das paisagens pode ajudar a compreender como as sociedades organizam o espaço, modificando a paisagem ao longo do tempo. Ajuda a entender também o modo de vida das pessoas naquele espaço, nas diversas épocas.

A fotografia abaixo mostra o castelo de São Jorge, em Lisboa, Portugal. Preste atenção nas formas do castelo e nas construções do seu entorno.

Fig. 1 (p. 12)

Vista do castelo de São Jorge, contruído em um dos pontos mais altos do centro histórico de Lisboa, Portugal. Foto de 2013.

Ricardo Azoury/Pulsar Imagens

Esse castelo foi construído entre os séculos X e XI. Ele já teve diversos usos – forte militar, residência real e prisão – e ainda conserva muitas características da época de sua construção. A observação atenta dessa antiga edificação nos fornece informações sobre aquele período.

Com o passar do tempo, a paisagem foi se transformando, e hoje o castelo divide espaço com casas e prédios construídos em épocas mais recentes.

A combinação das formas antigas com as recentes – ambas em constante transformação – compõe as paisagens. Assim, a paisagem é o resultado de diferentes alterações no espaço ao longo do tempo.



Patrimônio histórico

As construções do presente guardam marcas do passado, revelando muito sobre a época em que foram realizadas. Muitas dessas construções se tornam patrimônio histórico a ser protegido e preservado pelos órgãos públicos.

MP

I. O edifício da fotografia abaixo é patrimônio histórico. Você acha que ele se mantém intacto, como na época em que foi construído, ou sofreu alguma alteração? Explique.

Fig. 2 (p. 12)

Solar do Barão de Guajará, Belém (PA). Foto de 2014.

Delfim Martins/Pulsar Imagens

II. Comente dois aspectos da imagem que remetam ao início do século XX e que não vemos em construções contemporâneas.

III. O que os órgãos públicos devem fazer para preservar um patrimônio histórico? E você, como acha que pode contribuir para essa preservação?

Verifique o que aprendeu

1. O que é paisagem?

1. A paisagem é uma combinação dos elementos que observamos em determinado momento.



2. Dê exemplos de elementos naturais da paisagem.

2. Exemplos de elementos naturais da paisagem: árvores, rios, montanhas, neve, areia, mar, etc.



3. Dê exemplos de elementos sociais da paisagem.

3. Exemplos de elementos sociais da paisagem: casas, prédios, pontes, ruas, estradas, postes, fábricas, represas, etc.



4. Explique por que a observação das paisagens é importante no estudo da Geografia.

4. A observação das paisagens é importante porque ajuda a entender a organização do espaço em dado momento e permite compreender o modo de vida das pessoas em determinado espaço ao longo do tempo.



Página 13

Atividades
Responda sempre no caderno.

1. Desenhe a paisagem que você observa da janela de sua casa.

1. Resposta pessoal. Também é possível pedir aos alunos que façam um desenho da paisagem vista da janela da sala de aula. Se julgar necessário, organize a apresentação dos desenhos e, depois, converse com os alunos sobre semelhanças e diferenças entre as paisagens desenhadas.



2. Observe a paisagem mostrada na fotografia abaixo. Depois, descreva quais são os elementos naturais e os elementos sociais dessa paisagem.

Fig. 1 (p. 13)

Plantação em Iguape, no estado de São Paulo, em 2014.

Delfim Martins/Pulsar Imagens

2. Elementos modificados: plantação, casas, estradas. Elementos naturais: morros e montanhas (ao fundo), trechos de vegetação nativa. Na fotografia, os alunos provavelmente acharão que a plantação e toda a vegetação representadas são elementos naturais das paisagens. Explique que a maior parte do que se vê nas imagens são elementos sociais.



3. Você já percebeu como as paisagens se modificam com o tempo? Converse com adultos de sua família sobre as mudanças ocorridas ao longo dos anos na paisagem do lugar onde você mora. Depois, escreva um texto no caderno relatando o que você descobriu.

Resposta pessoal.



MP

4. Observe com atenção as imagens da enseada de Botafogo, na cidade do Rio de Janeiro, no fim do século XIX (fotografia 1) e no início do século XXI (fotografia 2).
Descreva a paisagem mostrada em cada imagem. Que modificações ocorreram com o passar do tempo? O que permaneceu? Levante hipóteses sobre as causas dessas transformações.

1

Fig. 2 (p. 13)

Vista da enseada de Botafogo, cerca de 1885.

Marc Ferrez/Acervo Instituto Moreira Salles, Rio de Janeiro

2

Fig. 3 (p. 13)

Vista da enseada de Botafogo, 2007.

Paulo Fridman/SambaPhoto

4. Os alunos devem notar que alguns elementos da paisagem se modificaram, como a expansão do número de casas e edifícios sobre a orla e ao redor do Pão de Açúcar. Outros permaneceram, como os morros e a praia. Quem causou as transformações foi a sociedade, que adaptou os espaços a suas necessidades, transformando a paisagem.



Página 14

Módulo 2 - Lugar e espaço vivido

Pense nos lugares que você frequenta. Como eles são? Quais os lugares de que você mais gosta? Reconstitua-os mentalmente e procure se lembrar dos detalhes, dos sentimentos e das sensações que esses lugares despertam em você.

Espaço vivido

A palavra “lugar” tem diversos significados. Para a Geografia, lugar quer dizer cada um dos espaços em que uma pessoa vive e com os quais cria diferentes laços afetivos. O conjunto dos lugares onde cada indivíduo mora e cumpre sua rotina diária é chamado de espaço vivido.

O nosso espaço vivido é o nosso quarto, a nossa casa, a praça, o jardim. É também a rua em que moramos, são os lugares que frequentamos e pelos quais nutrimos sentimentos. O espaço vivido são os lugares que fazem parte do nosso cotidiano, incluindo os percursos que fazemos rotineiramente.

Cada lugar tem um significado para cada pessoa. As vivências, as sensações, os sentimentos, as relações que estabelecemos com os lugares fazem o nosso espaço vivido ser único. O lugar é uma pequena parte do espaço geográfico, que é definido como o espaço ocupado e transformado pelas pessoas ao longo do tempo.



Fig. 1 (p. 14)

Crianças jogando futebol em rua de Manaus, no Amazonas. Foto de 2014.

Warren Little/Getty Images

Página 15

Cultura e espaço

As relações que os seres humanos estabelecem entre si e com os lugares em que vivem são muito diversificadas. Essas relações são influenciadas, entre outras coisas, pela natureza e pela cultura de cada grupo social. Entende-se como cultura o conjunto de valores, crenças, conhecimentos e costumes de cada grupo humano, que o diferencia de outros grupos.



Marcas da cultura no espaço

O espaço reflete os hábitos, os valores, as crenças, os conhecimentos e a tecnologia, a tradição e a religião dos grupos humanos que o modificam. O espaço traz marcas de diferentes épocas do passado, que se revelam no presente. Istambul, na Turquia, é uma cidade antiga na qual são facilmente identificáveis as transformações ocorridas durante muitos séculos. Nela, passado e presente convivem e testemunham um pouco da história de grupos humanos que habitaram e habitam a cidade.

Outro exemplo de transformação é o palácio de Versalhes, próximo à cidade de Paris, na França. Foi construído no século XVII, pelo rei Luís XIV, para abrigar a família real francesa e os membros de sua corte. O luxo e a grandiosidade são características desse palácio que evidenciam a cultura da época. Atualmente, o palácio é um museu.

Fig. 1 (p. 15)

Vista de parte da cidade de Istambul, na Turquia, em que é possível observar construções antigas, em primeiro plano, e edificações mais recentes, ao fundo. Foto de 2014.

519 Graphic/Shutterstock.com/ID/BR

Fig. 2 (p. 15)

O palácio de Versalhes foi sede da corte francesa até o século XVIII; depois disso foi utilizado como hospital, prisão, quartel militar e, em 1837, foi transformado em museu. Conserva até hoje as características de sua construção original. Foto de 2013.

Brian Kinney/Shutterstock.com/ID/BR

Página 16

A influência da natureza

Ao longo da história, as sociedades têm se apropriado dos espaços naturais, transformando-os de acordo com sua cultura, suas necessidades e seus interesses. Diversos fatores naturais, como a fertilidade dos solos, o clima, a presença de florestas, o relevo, os rios, etc., exercem grande influência nas várias formas pelas quais as pessoas ocupam os espaços.



O clima

O clima é um dos fatores mais importantes na ocupação do espaço pelos seres vivos. Os locais excessivamente quentes ou excessivamente frios são considerados inóspitos, pois dificultam a ocupação humana. O mesmo ocorre com os desertos e as altas montanhas. No entanto, o ser humano inventou soluções para se adaptar aos desafios climáticos nessas áreas inóspitas.

Em países frios, as moradias possuem sistemas de aquecimento e lareiras, pois as temperaturas muito baixas dificultam bastante a vida cotidiana. Em casos extremos, as pessoas que não estiverem agasalhadas ou abrigadas podem até morrer. Os telhados são inclinados para não acumular neve e para impedir que o excesso de peso os faça despencar.

Em lugares quentes, como em muitas regiões do Brasil, as casas não necessitam de forte vedação. No entanto, outras necessidades impostas pelas condições do clima têm de ser atendidas. Em alguns locais, a maior preocupação é com o período de chuva ou de cheia dos rios. Nesses locais, muitas casas são construídas sobre estacas (palafitas), para ficarem protegidas das inundações.

Nos desertos, as moradias permanentes são possíveis em oásis.

As condições climáticas também influenciam em atitudes, como o uso de agasalhos para o frio, de guarda-chuva e de roupas leves em dias mais quentes. No verão, muitas pessoas vão à praia. No inverno, as áreas turísticas nas montanhas são bastante frequentadas.



Fig. 1 (p. 16)

Moradias típicas de lugares frios cobertas de neve em Holo, Suécia. Foto de 2015.

allanw/Shutterstock.com/ID/BR

Fig. 2 (p. 16)

Moradia comum de locais que inundam na época de cheia dos rios, localizada nos arredores de Manaus, Amazonas. Foto de 2013.

Edson Grandisoli/Pulsar Imagens

Página 17

Os rios e as cidades

Por fornecer água, alimento e condições de transporte, os rios tiveram grande papel na história da formação das paisagens urbanas atuais.

Muitas cidades grandes se desenvolveram às margens de rios. É o caso, por exemplo, de Paris (França), Cairo (Egito), Lisboa (Portugal), Londres (Grã-Bretanha), entre outras. No Brasil, São Paulo, Belém e Recife são alguns exemplos.

Fig. 1 (p. 17)

Vista do rio Tietê em meio à urbanização, em São Paulo (SP). Foto de 2013.

Delfim Martins/Pulsar Imagens

Outros elementos naturais

Hoje em dia, os materiais de construção são frequentemente produzidos em larga escala, e a técnica de construção das casas é semelhante em muitos lugares do mundo. Apesar disso, é comum a utilização dos elementos disponíveis na natureza do local na produção das moradias, praças, ruas, etc.

Em áreas pedregosas, por exemplo, as moradias costumam ser feitas de pedra, matéria-prima1 disponível na natureza.

Em áreas com abundância de matas, a maior parte das moradias era feita de madeira. Ainda hoje esse tipo de construção é muito comum em algumas regiões do Brasil. Em outros países, grupos nômades utilizam tecido como material de construção.



Fig. 2 (p. 17)

No interior do Paraná e de Santa Catarina, por exemplo, há inúmeras construções de madeira, como a da foto em Lapa, Paraná, 2011.

Haroldo Palo Jr./Kino.com.br

Verifique o que aprendeu

1. O que é lugar?

1. É o espaço em que cada pessoa vive e com o qual cria diferentes laços afetivos.



2. O que é espaço vivido?

2. É o conjunto dos lugares onde cada indivíduo mora e cumpre sua rotina diária.



3. O que é espaço geográfico?

3. É o espaço ocupado e transformado pelos seres humanos.



4. Aponte alguns fatores que fazem os espaços, os lugares e as paisagens serem diferentes uns dos outros.

4. A natureza, os hábitos, as crenças, os conhecimentos, a tecnologia, a tradição, as condições econômicas e a religião dos grupos humanos transformam o espaço e criam diferentes lugares e paisagens.



Página 18

Atividades
Responda sempre no caderno.

1. Pense em sua moradia e resolva as questões.

a) Qual é o lugar da sua moradia de que você mais gosta? Redija um pequeno texto descrevendo-o.

b) Por que esse é seu lugar predileto? Que características desse lugar fazem você gostar dele?

1a. e 1b. Respostas pessoais. Utilize as descrições dos alunos para retomar o conceito de espaço vivido, destacando as relações de afetividade que são estabelecidas com os lugares do espaço vivido. Convide alguns alunos a ler seus textos para a classe, trabalhando a oralidade.



2. Leia o poema e responda às questões que seguem.

A calçada

A calçada da minha rua,


de pedra portuguesa,
preta e branca, já se vê,
que é bonita é,
mas não dá pra jogar maré*
e eu já descobri por quê...

Tem desenhos lindos:


– Uma estrela que lembra luz
e ilumina meus pés
na sandália que reluz;
– um trevo de quatro folhas
que dizem dar sorte...
Será que dá?
Passo sobre ele
pra lá e pra cá.
– Um dragão sossegado
porque não é de verdade.
Se fosse, nos dias de chuva,
saltava da calçada
e ia embora na enxurrada.
Pulo sobre ele: Plim... plom... plão!
Ôi, dragão! Não tenho medo, não!

* Maré: brincadeira infantil mais conhecida como amarelinha; o mesmo que academia, amarela, macaca, sapata.

Cleonice Rainho. Disponível em:



Yüklə 2,37 Mb.

Dostları ilə paylaş:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   76




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©muhaz.org 2020
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə